A A Ilíada e a adaptação para jovens leitores de Frederico Lourenço

Investigações acerca dos recursos utilizados sobre as honras fúnebres

  • Jannerpaula Souza UFPB

Resumo

Levando em consideração teorias que entendem a adaptação literária como produto que incentiva a acessibilidade de textos para múltiplos leitores (HUTCHEON, 2013) principalmente dos clássicos relacionados ao cânone mundial (CALVINO, 2007), a presente pesquisa se propõe a fazer uma investigação em uma adaptação da Ilíada de Homero para leitores juvenis. Os dois textos selecionados são traduções do conceituado professor e autor português Frederico Lourenço, conhecido tradutor da obra de Homero para a Língua Portuguesa. O primeiro texto trata-se de uma tradução da Penguin Classics Companhia das Letras (2013) considerada interlingual, e o segundo, da Claro Enigma (2016), uma versão adaptada para o público juvenil. Este trabalho, portanto, se permeia na discussão em torno da relevância das adaptações literárias, bem como da adaptação de clássicos para jovens leitores, visando encontrar propostas que expliquem os elementos envolvidos nesses processos tradutórios. Para uma análise mais investigativa serão utilizadas as cenas envolvendo as honras fúnebres nas duas traduções, objetivando perceber as escolhas feitas pelo tradutor/adaptador para descrever situações de cunho mais sombrio e emocional. Essa investigação toma por base os aspectos pontuados por Mateus (2013) como um exemplo de técnica de reescrita, trabalhando com os critérios paráfrase, tradução e reformulação textual. Ao final, serão observados como o tradutor/adaptador organiza os recursos de modo a construir sentido e a tornar acessível o texto grego em toda a sua magnitude para o leitor juvenil.
Publicado
2020-04-28
Seção
Entrad2019: Tradução Intersemiótica e Adaptação