Entre a ciência e o encantamento

O Brasil visto por cientistas do século 19 em traduções do século 20

  • Cristina Carneiro Rodrigues UNESP - Universidade Estadual Paulista

Resumo

Vários autores salientam que os relatos de naturalistas que vieram ao Brasil no século 19 eram fonte de consulta para quem quisesse interpretar o Brasil na primeira metade do século 20, pois eles teriam documentado nossa história social e política, além de oferecerem conhecimento sobre flora, fauna, geografia, geologia. Seus relatos foram esporadicamente traduzidos para o português, mas foi apenas nos anos de 1930, com o lançamento da coleção Brasiliana pela Companhia Editora Νacional, que passaram a ser acessíveis a um público mais abrangente. Meu objetivo, neste trabalho, é analisar como três desses naturalistas escreveram e como foram traduzidos: Auguste de Saint-Hilaire, Henry Walter Bates Charles Frederick Hartt. Estudaram aspectos do Brasil em uma época em que a ciência não se definia por uma suposta racionalidade e neutralidade e marcaram seus textos tanto por descrições científicas quanto pela expressão de seu encantamento com a natureza tropical. Νa medida em que a linguagem da ciência e a da literatura não se separam radicalmente em sua escrita, busco as estratégias que seus tradutores empregaram para enfrentar sua tarefa.
Publicado
2020-04-28
Seção
Entrad2019: História e Historiografia da Tradução