ESTUDOS FILOSÓFICOS SOBRE O NEGRO NO BRASIL:

UM LEVANTAMENTO DE TESES E DISSERTAÇÕES EM TEMÁTICAS NEGRAS NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA ÁREA DE FILOSOFIA (1987-2018)

  • Fernando Sá Moreira UFF
Palavras-chave: Estudos Filosóficos da Negritude, Racismo Acadêmico, Pós-graduação, Filosofia Negra, Bibliometria

Resumo

Este estudo apresenta os resultados de uma análise predominantemente quantitativa de pesquisas de pós-graduação na área de filosofia entre 1987 e 2018. O objetivo central foi identificar teses de doutorado e dissertações de mestrado em filosofia sobre temas relacionados à população negra, a filosofias africanas e afrodiaspóricas. A metodologia baseou-se no levantamento sistemático de teses e dissertações através do uso de 345 diferentes expressões de busca no Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Os resultados mostram que a produção dos estudos filosóficos da negritude compõem, na mais condescendente das hipóteses, apenas cerca de 0,5% da produção nacional do período. A produção sobre a temática negra é, em geral, bastante recente e ainda pouco consolidada na pós-graduação em filosofia das diversas universidades do país. Tais resultados dão indícios da existência de um racismo acadêmico na filosofia acadêmica brasileira, que age na forma de um silenciamento quase completo quanto a temas negros.

Referências

BRASIL. Lei n. 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro Brasileira”, e dá outras providências. Brasília, DF, 09. Jan. 2003. Disponível em: . Acesso em: 02/06/2018.
BRASIL. Lei n. 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Disponível em . Acesso em 27/11/2016.
CAPES. Catálogo de Teses e Dissertações. Disponível em . Acesso em 03/06/2019.
CAPES. Plataforma Sucupira. Disponível em . Acesso em 03/06/2019.
CAPES. Painel de Informações Quantitativas (Teses e Dissertações). Disponível em . Acesso em 03/06/2019.
CARVALHO, Marcelo; GONÇALVES, Daniela. O crescimento da pós-graduação em filosofia no Brasil: dados e análises sobre o período 1971-2015. In: DOMINGUES, Ivan (org.); CARVALHO, Marcelo (org.). Pesquisa e pós-graduação em filosofia no Brasil: debates ANPOF de políticas acadêmicas. São Paulo: ANPOF, 2015.
CHALHOUB, Sidney; PINTO, Ana Flávia Magalhães (orgs.). Pensadores negros – pensadoras negras: Brasil, séculos XIX e XX. Cruz das Almas: EDUFRB; Belo Horizonte: Fino Traço, 2016. (Coleção UNIAFRO, volume 11)
Filosofia Africana. Disponível em . Acesso em 03/06/2019.
NABUCO, Joaquim. O abolicionismo; Conferências e discursos abolicionistas. São Paulo: Instituto Progresso Editorial S. A., 1949. (Obras completas de Joaquim Nabuco VII)
NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 1. reimpressão da 2. edição. São Paulo: Perspectiva, 2017.
NOGUERA, Renato. O ensino de filosofia e a lei 10.639. Rio de Janeiro: Pallas/Biblioteca Nacional, 2014.
SÁ MOREIRA, Fernando de. A Pesquisa Nietzsche no Brasil: análise quantitativa de teses e dissertações entre 2010 e 2018. Estudos Nietzsche, v. 9, n. 1, jan./jun. 2018, pp. 120-133.
SÁ MOREIRA, Fernando de. Schopenhauer no Brasil: análise da presença schopenhaueriana em teses de doutorado e dissertações de mestrado de 1987 a 2018. Voluntas: Revista Internacional de Filosofia, v. 10, n. 2, pp. 111-142, 2019.
SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. 2012. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo.
SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
Publicado
2019-11-21