O TRÁFICO DE ESCRAVOS PARA O PORTUGAL SETECENTISTA: UMA VISÃO A PARTIR DO “DESPACHO DOS NEGROS DA ÍNDIA, DE CACHEO E DE ANGOLA” NA CASA DA ÍNDIA DE LISBOA

Autores

  • Filipa Ribeiro da Silva

Resumo

A historiografia sobre o comércio de escravos e a escravidão na Europa Ocidental tem-se centrado, principalmente, no estudo da presença de escravos africanos na Península Ibérica durante os séculos XV e XVI, em particular no que se refere à sua chegada aos portos portugueses de Lisboa, Porto e Lagos, e as cidades espanholas de Cádiz e Barcelona. O papel dos escravos e da escravidão nas economias ibéricas nos séculos seguintes e da contribuição dos escravos africanos não-negros foram, portanto, grosseiramente negligenciados. Este trabalho pretende preencher parcialmente essa lacuna, através da análise da importação de escravos para a Lisboa setecentista. Nossos principais objetivos são: a) distinguir as rotas marítimas utilizadas neste comércio, incluindo circuitos de todo o Atlântico e Índico, bem como os portos de embarque de escravos, e os portos de escala durante essas viagens; b) identificar os homens envolvidos neste negócio; c) identificar os mecanismos comerciais utilizados; d) avaliar o número de escravos que chegam; e) discutir a origem geográfica e étnica desses escravos; f) identificar os compradores de escravos em Lisboa; e g) compreender a organização desse negócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

DA SILVA, F. R. O TRÁFICO DE ESCRAVOS PARA O PORTUGAL SETECENTISTA: UMA VISÃO A PARTIR DO “DESPACHO DOS NEGROS DA ÍNDIA, DE CACHEO E DE ANGOLA” NA CASA DA ÍNDIA DE LISBOA. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 29, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/19809. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História e História Econômica