A MEDICINA NO INTERIOR DAS FÁBRICAS TÊXTEIS SERGIPANAS (1940-1960)

Autores

  • Wagner Emmanoel Menezes Santos Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Medicina, Operários, Fábricas, Sergipe.

Resumo

O poder disciplinar fez parte de muitas fábricas brasileiras, sujeitando e controlando diariamente os trabalhadores. Os mestres e contramestres eram os responsáveis pelo acompanhamento da produção de mercadorias e pela vigilância dos indivíduos. Além deles, os médicos controlavam os operários através do cuidado com o corpo humano e dos diagnósticos dos exames clínicos. O artigo pretende analisar como atuavam os profissionais da saúde no interior das fábricas têxteis sergipanas durante os anos de 1940 e 1960. O aporte teórico se baseou no conceito de poder disciplinar proposto por Michel Foucault que afirmava que existia um controle constante dentro das fábricas e em outras instituições. As fontes utilizadas foram periódicos, revista e processos trabalhistas.

Biografia do Autor

Wagner Emmanoel Menezes Santos, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em História pela Universidade Federal de Sergipe.

Downloads

Publicado

2014-12-31

Como Citar

SANTOS, W. E. M. A MEDICINA NO INTERIOR DAS FÁBRICAS TÊXTEIS SERGIPANAS (1940-1960). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 31, p. 254, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/239. Acesso em: 25 jun. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: História e Saberes Médicos