A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE (2012-2014): O PERMANENTE LEGADO AUTORITÁRIO EM QUESTÃO

Autores

  • Dmitri Felix Nascimento Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Doutoramento em Política Comparada

Palavras-chave:

Ditadura Militar, Redemocratização, Justiça Transicional

Resumo

Após a criação da Comissão Nacional da Verdade(CNV) em 2012, a partir da Lei nº 12528/2011, tornou-se oficial por parte do Estado brasileiro a concretização de um instrumento com o objetivo de levantar os crimes de violação dos direitos humanos entre os anos 1946-1988. Com esta iniciativa foi dado um importante passo para a elucidação do passado perante a atuação dos agentes do Estado, da sociedade civil e empresarial, principalmente, no período da ditadura civil-militar brasileira de 1964-1985, experiências que outros Estados com passado autoritário também o realizaram (Portugal, Grécia, Espanha, Argentina, Chile, Uruguai, África do Sul e outros) com diferentes impactos sobre a transição para a democracia. Desta forma objetivamos dimensionar questões sobre a justiça transicional com relação ao trabalho realizado pela CNV e suas recomendações em questões como: abertura dos arquivos, no processo da revisão da Lei da Anistia, e os decretos de leis sobre os crimes contra a segurança nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dmitri Felix Nascimento, Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Doutoramento em Política Comparada

Graduado em História pela UFPB Faculdade Preparatória de Língua Russa-Universidade Amizade dos Povos-Rússia Mestre em História pela UFPE Doutoramento em Política Comparada-ICS/Univ. Lisboa

Downloads

Publicado

2016-08-03

Como Citar

NASCIMENTO, D. F. A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE (2012-2014): O PERMANENTE LEGADO AUTORITÁRIO EM QUESTÃO. Saeculum, [S. l.], n. 34, p. 241–255, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/26468. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê