JEAN GERSON E A VIDA CONTEMPLATIVA PARA AS MULHERES LAICAS (SÉCULO XV)

Autores

  • Letícia Gonçalves Almeida Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Palavras-chave:

França medieval, Contemplação, Jean Gerson

Resumo

Nos primeiros anos do século XV, o chanceler da Universidade de Paris, Jean Gerson, escreveu pela primeira vez em língua vernácula sobre o tema da contemplação, endereçando aos “simples”, especialmente às mulheres, um assunto reservado aos teólogos ou monges e considerado digno apenas de ser tratado em latim. A contemplação designava para os letrados religiosos o ponto mais elevado da experiência espiritual cristã, o estado de êxtase em que a alma era absorvida pela presença de Deus, estágio alcançado por uma minoria de virtuosos e santos, com o auxílio de exercícios específicos como a meditação e a oração, amparados na leitura dos textos sagrados. Deste modo, o presente artigo examina como Jean Gerson formulou um modelo de vida devota para as mulheres laicas com base na prática da contemplação, num momento em os laicos estavam em busca de modalidades mais diretas e pessoais de relacionar-se com Deus. Assim, este trabalho analisa quais as virtudes e comportamentos eram recomendados às mulheres e que vícios deveriam ser evitados, buscando também questionar sobre como o chanceler, em sua construção de um modelo de virtude e devoção para as mulheres, dialogava também com as práticas reprováveis que naquele momento eram descritas sobre muitas delas, como os êxtases visionários tão recorrentes no período.

Biografia do Autor

Letícia Gonçalves Almeida, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Doutoranda em História, História Medieval

Downloads

Publicado

2016-08-03

Como Citar

ALMEIDA, L. G. JEAN GERSON E A VIDA CONTEMPLATIVA PARA AS MULHERES LAICAS (SÉCULO XV). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 34, p. 11–26, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/26472. Acesso em: 25 jun. 2021.

Edição

Seção

Dossiê