VAPORES E ESCRAVOS NO PENEDO, ALAGOAS, NA DÉCADA DE 1850

Autores

  • Luana Teixeira Universidade Federal de Pernambuco

Palavras-chave:

comércio interprovincial de escravos, Penedo, século XIX.

Resumo

Este artigo tem como principal objetivo demonstrar a participação da Cidade de Penedo, Alagoas, no comércio interprovincial de escravos na década de 1850. Penedo, às margens do Rio São Francisco, conheceu um importante desenvolvimento econômico em meados do século XIX, impulsionado pelo estabelecimento das linhas regulares de navegação à vapor que conectavam o porto fluvial da cidade diretamente aos principais portos oceânicos da época. Nesse contexto, foi reforçada sua posição de entreposto comercial entre o interior do Rio São Francisco e o comércio de cabotagem nacional. As possibilidades de lucro com o comércio interprovincial de escravos fez com que rapidamente os comerciantes envolvidos no comércio da região começassem a buscar cativos dos interiores alagoanos e pernambucanos e enviá-los para o Rio de Janeiro através do Porto de Penedo. Desse modo, centenas de escravos inseridos no comércio interprovincial passaram pelo Porto de Penedo ao longo dos anos 1850, influenciando diretamente as relações econômicas e sociais no Baixo São Francisco.

Publicado

2016-08-03

Como Citar

TEIXEIRA, L. VAPORES E ESCRAVOS NO PENEDO, ALAGOAS, NA DÉCADA DE 1850. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 34, p. 123–142, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/26473. Acesso em: 25 jun. 2021.

Edição

Seção

Dossiê