RIVALIDADES E ANTAGONISMOS: AS RELAÇÕES ENTRE GREVISTAS E FURA-GREVES NOS MOVIMENTOS PAREDISTAS EM PORTO ALEGRE (1917-1919)

Autores

  • César Agusto Bubolz Queirós Universidade Federal do Amazonas

Palavras-chave:

Classe Operária, Greves, Sindicatos, Porto Alegre, Primeira República.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar a greve como um momento de ruptura e de rivalidades entre aqueles que ingressavam nos movimentos paredistas e aqueles que, por quaisquer motivos, recusavam-se a participar e permaneciam em seus postos de trabalho durante as grandes greves ocorridas na cidade de Porto Alegre entre os anos de 1917 e 1919. Pretende-se, ainda, analisar as representações construídas pela imprensa operária e/ou diária sobre estes trabalhadores, bem como as estratégias utilizadas pelos operários grevistas e suas associações para interromper o trabalho.

Biografia do Autor

César Agusto Bubolz Queirós, Universidade Federal do Amazonas

Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor Auxiliar do Departamento de História da Universidade Federal do Amazonas.

Downloads

Publicado

2014-12-31

Como Citar

QUEIRÓS, C. A. B. RIVALIDADES E ANTAGONISMOS: AS RELAÇÕES ENTRE GREVISTAS E FURA-GREVES NOS MOVIMENTOS PAREDISTAS EM PORTO ALEGRE (1917-1919). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 31, p. 283, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/271. Acesso em: 25 jun. 2021.