Os caprichos dos homens têm feito das mulheres plantas de estufa: mulheres e relações de trabalho na corte, segunda metade do século XIX

Autores

  • Cristiane de Paula Ribeiro Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.44998

Resumo

O presente trabalho objetiva uma discussão acerca das reivindicações femininas pelo direito a profissionalização e inserção no mundo do trabalho durante meados do século XIX na Corte. Para tanto, buscaremos mostrar que tais reivindicações estiveram restritas a grupos específicos, ou seja, mulheres brancase letradas que requeriam ocupar sobretudo cargos públicos e políticos, naquele momento restrito apenas ao sexo masculino. Do mesmo modo, buscaremos, ainda, pensar as mulheres negras e sua já ampla atuação no mundo do trabalho, diferentemente das letradas,onde é possível evidenciarmos atuaçõesdiversas como domésticas, lavadeiras, cozinheiras, amas de leite, quitandeiras, entre livres e escravizadas, discutindo um mundo do trabalho feminino em que se torna necessário o uso de intersecções como gênero, raçae classe para compreendê-lo de maneiraheterogênea, diversa e desigual.

Downloads

Publicado

2019-12-15

Como Citar

RIBEIRO, C. de P. Os caprichos dos homens têm feito das mulheres plantas de estufa: mulheres e relações de trabalho na corte, segunda metade do século XIX. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 24, n. 41, p. 267–283, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.44998. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/44998. Acesso em: 25 jun. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Mulheres, gênero e sertanidades