O feminino sacralizado e a violência de gênero no Cariri: do processo-crime à poesia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.47241

Resumo

Neste artigo, discutimos os elementos discursivos comuns sobre gênero constantes nos discursos da religião católica, do Direito, da escola e da Literatura que circularam na regiãodo Cariri no século XX e, em alguma medida, relacionam-se com as narrativas em torno das mulheres santificadas popularmente na referida região. O processo de santificação popular do feminino no Cariri se construiu historicamente e se relaciona com o discurso penitencial católico e com a violência de gênero ainda recorrente na contemporaneidade. Os resultados aqui apresentados são frutos de uma pesquisa histórica, sendo a análise alicerçada nas produções teóricas da História Cultural. As fontes são múltiplas e advêm da História Oral através da produção de entrevistas, de coleta documental contemplando as fontes judiciais, a Literatura de Cordel, documentos escolares e fotografias. A decisão por ampliar o bojo de fontes e analisá-las conjuntamente se deu diante da complexidade temática e do ímpeto de construir algumas compreensões em relação ao impacto da construção discursiva sobre o feminino na produção simbólica da santidade de mulheres naquele lócus. A Ciência, a escola, o Processo Penal, a Literatura e a Igreja Católica são instrumentos de divulgação de valores, pautam a circulação de ideais e representações sociais e foram importantes veículos para apropriação e representação do feminino. A despeito das várias produções normativas e científicas que tratamda autonomia dos gêneros e das mudanças sociais que viabilizam uma maior atuação do feminino na esfera pública nas últimas décadas, observamos que no Cariri cearense a representação do feminino ainda se propagada de modo relacionado aos ideais da família nuclear e o plano da cultura se instrumentaliza em torno dos valores e papeis deGênero consolidados há dois séculos. Essa construção representativa contribui para a manutenção dos papeis e dá vazão à violência de gênero.

Downloads

Publicado

2019-12-15

Como Citar

BARRETO, P. de L. N.; HOLANDA, P. H. C. O feminino sacralizado e a violência de gênero no Cariri: do processo-crime à poesia. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 24, n. 41, p. 248–266, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.47241. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/47241. Acesso em: 25 jun. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Mulheres, gênero e sertanidades