ESTRATÉGIAS ARQUIVÍSTICAS PARA PRESERVAÇÃO DIGITAL DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOS DIGITAIS (DAD) EM FORMATO DE IMAGEM

Autores

  • Luiz Antonio Santana da Silva Universidade Federal do Amazonas
  • Alessandra Silva Taveira Universidade Federal do Amazonas
  • Patrícia Rodrigues Guimarães Universidade Federal do Amazonas

Palavras-chave:

Documento Arquivístico Digital, Formatos de Imagem, Repositórios Arquivísticos Digitais Confiáveis.

Resumo

Apresenta estratégias arquivísticas para preservação de documentos digitais em formato de imagem, isto é, cujos formatos se apresentam em ambiente digital, como, por exemplo, JPEG (Joint Photographics Experts Group), PNG (Portable Network Graphics), DIB (Device Independente Bitmap), TIFF (Tagged Image File Format) etc, utilizando-se de repositórios arquivísticos digitais confiáveis. Os objetivos específicos têm por finalidade verificar se as estratégias arquivísticas de preservação digital propostas pelo Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos (e-ARQ Brasil) são atendidas em RDC-ARQ, no que tange aos documentos em formatos de imagens produzidas em ambiente digital. Dessa forma, justificamos as abordagens desse trabalho, uma vez que tais documentos também são produzidos em ambiente digital, servindo como prova de atos administrativos, sendo reflexos dessas funções, atividades e tarefas organizacionais, e serem comumente desconsiderados em detrimento dos formatos de texto. Como procedimentos metodológicos foram realizadas pesquisas bibliográficas, pesquisas na web, sites de instituições e projetos ligados diretamente com o tema de estudo, grupos de pesquisa e publicações técnicas do Conselho Nacional de Arquivos e da Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Foi possível constatar que as estratégias de preservação digital embasadas no modelo de requisitos, o uso de plataformas informatizadas de gestão arquivística, de repositórios arquivísticos confiáveis e de políticas arquivísticas, a preservação de documentos digitais em formato de imagem é possível, tendo em vista que tais plataformas garantem a segurança, integridade e gestão dessa informação orgânica, de acordo com os princípios e técnicas da arquivologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Antonio Santana da Silva, Universidade Federal do Amazonas

Professor Adjunto II no curso de Relações Públicas na Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Líder do Grupo de Pesquisa em Documentos Audiovisuais e Iconográficos (IMAGO) e membro do Grupo de Estudos em Relações Públicas (GERP), ambos da (FIC/ UFAM). Coordenador do projeto de extensão Cine & Vídeo Tarumã da FIC/UFAM. Doutor e Mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Campus de Marília. Bacharel em Arquivologia pela Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC/UNESP). Interesses de pesquisa: Arquivologia; Organizações; Informação; Comunicação; Relações Públicas; Gestão Documental; Documentação audiovisual e Iconográfica; Tecnologias da Informação e Comunicação em ambientes digitais.

Alessandra Silva Taveira, Universidade Federal do Amazonas

Discente do curso de arquivologia da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal do Amazonas. Membra do Grupo de Pesquisa em Documentos Audiovisuais e Iconográficos - IMAGO da da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal do Amazonas. 

Patrícia Rodrigues Guimarães, Universidade Federal do Amazonas

Discente do curso de arquivologia da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal do Amazonas. Membra do Grupo de Pesquisa em Documentos Audiovisuais e Iconográficos - IMAGO da da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal do Amazonas. 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 2007. Digital terrestrial television standard 06: Data codification and transmission specifications for digital broadcasting. Part 2–GINGA-NCL: XML Application Language for Application Coding (São Paulo, SP, Brazil), 2007.

ARCHIVEMATICA. Guia de instalação e configuração Archivematica/AtoM. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, 2017.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. (Publicações Técnicas; n. 51).

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. (SÃO PAULO). Portal São Paulo Sem Papel. Disponível em: O Programa – Portal SP Sem Papel. Acesso em: 02.08.2021.

ATOM. Acess to Memory. Disponível em: https://www.accesstomemory.org/pt-br/. Acesso em: 20 jun. 2022.

BRASIL. Lei 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 09 jan. 1991.

CONARQ (Brasil). Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos (CTDE). Glossário (versão 8.0). Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: http://conarq.gov.br/ images/ctde/Glossario/glosctde_2020_08_07.pdf. Acesso em: 03 mar. 2022.

CONARQ (Brasil). Diretrizes para a implementação de repositórios arquivísticos digitais RDC – Arq. Arquivo Nacional: Rio de Janeiro, 2015.

CONARQ (Brasil). Câmara técnica de documentos eletrônicos. Diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis de documentos arquivísticos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2014. Disponível em: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/media/publicacoes/resol_ conarq_39_repositorios.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

CONARQ (Brasil). Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos e-ARQ Brasil. Arquivo Nacional: Rio de Janeiro, 2020.

CONARQ (Brasil). Portaria n° 8, de 25 de setembro de 1995. 1995.

CONARQ (Brasil). Portaria nº 60, de 7 de março de 2002. Reformulação da Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. 2019.

CONARQ (Brasil). Resolução n° 43, de 4 de setembro de 2015. 2015.

CONARQ (Brasil). Resolução n° 37, de 19 de dezembro de 2012. 2012.

CORRÊA, F. S. Um estudo qualitativo sobre as representações utilizadas por professores e alunos para significar o uso da internet. 2013. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

COSTA, A.; GOMES, A. JPEG – Formato de arquivo de imagens. Apontamentos da disciplina Introdução à Informática do Curso de Biblioteconomia-Escola de Ciência da Informação UFMG, 2005.

DELMAS, B. Arquivos para quê? Tradução de Danielle Ardaillon. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC), 2010. 196p.

EDMONDSON, R. Arquivística Audiovisual: filosofia e Princípios. Brasília: Unesco, 2017.

ELETRONJUN. A Evolução dos dados móveis e o surgimento do 5G. 2020. Disponível em: https://eletronjun.com.br/2020/12/10/a-evolucao-dos-dados-moveis-e-o-5g/ Acesso em: 25 maio 2021.

NASCIMENTO, F. C. G.; DORNELES, S. L. Recomendações da Diplomática para o uso de documentos arquivísticos digitais nas plataformas do tipo blockchain. Archeion Online, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 26–42, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/52500. Acesso em: 3 mar. 2022.

FONSECA, M. O.; JARDIM, J. M. As relações entre a Arquivística e a Ciência da Informação. Cadernos Bad, Lisboa, v. 2, p. 29-45, 1992.

GARDEREN, P. V. The ICA-AtoM Project and Technology. Association of Brazilian Archivists, Third meeting on Archival Information Databases. Rio de Janeiro, Brazil, 16/17 March 2009.

GAVA, T. B. S.; FLORES, D. O papel do Archivematica no RDC-Arq e possíveis cenários de uso. Ágora: Arquivologia em debate, Florianópolis, v. 31, n. 63, p. 11, jul./dez. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GONÇALVES, C. D. A Análise do documento fotográfico e a sua representação documentária. RESGATE(9), 1999/2000. p. 97 – 102.

KOSSOY, B. Fotografia & História. 2. ed. rev. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.

KROTH, M. L.; PAVEZI, N. Archivematica para a preservação de documentos fotográficos digitais. Revista Photo & Documento - n. 4, 2017. Seção “Insumos técnicos”

LOPES, J. M. B. Formatos de Imagem. Instituto Superior Técnico. Universidade Técnica de Lisboa. 2003.

MACHADO, A. W.; SOUKI, B. Q. Simplificando a obtenção e a utilização de imagens digitais - scanners e câmeras digitais. R Dental Press Ortodon Ortop Facial. Maringá, v. 9, n. 4, p. 133-156, jul./ago., 2004.

SANTOS, M. H.; MAZUCO, C. F.; FLORES, D. Preservação sistêmica de documentos arquivísticos digitais: uma perspectiva holística. PerCursos, Florianópolis, v. 21, n. 46, p. 244 - 271, 2020. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/17401. Acesso em: 2 mar. 2022.

OAIS. Reference Model. 2004. Disponível em: http://www.ccsds.org/documents/650x0b1.pdf Acesso em: 20 jun. 2022.

RABELO, A. Transformação Digital: o que é e quais os seus impactos na sociedade. Rockcontent. 2020. Blog. Disponível em: https://rockcontent.com/br/blog/transformacao-digital/. Acesso em: Acesso em 25 maio 2021.

RAMOS, M. do R. D. A importância da tecnologia da informação e comunicação nas Organizações de Serviços de Contabilidade. Mindelo, 2010.

SANTAELLA, L. Matrizes da Linguagem e Pensamento: sonora visual verbal: aplicações na hipermídia. São Paulo: Iluminuras, 2009.

SÃO PAULO. Decreto n. 64.355, de 31 de julho de 2019. Institui o Programa SP Sem Papel, seu Comitê de Governança Digital e dá providências correlatas. Diário Oficial da União, São Paulo.

SCHELLENBERG. T. R. Arquivos Modernos: princípios e técnicas. 5°ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. 388 p.

SEREN, M. do C. O documento fotográfico: da mediação cultural à mediação técnica. Cultura, Espaço&Memória, n. 2. 2013.

SILVA, D. G. da. Indústria 4.0: conceito, tendências e desafios. Ponta Grossa, 2017.

SILVA, L. A. S. da; CARVALHO, T. C. Discurso e práxis do documento audiovisual nos arquivos: perspectivas de organização arquivística. Archeion Online, [S. l.], v. 2, n. 2, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/22514. Acesso em: 2 mar. 2022.

SILVA, L. F. S. A Transformação Digital e a sua Relação com a Reestruturação dos Processos de Negócio no SEBRAE/RN. Natal, 2019.

VAN GARDEREN, P. The ICA-AtoM project and technology. In: Third Meeting on Archival Information Databases. Rio de Janeiro, jul. 2009, 16-17. Trabajos presentados. Rio de Janeiro: Association of Brazilian Archivists. 2009.

Downloads

Publicado

30-06-2022

Como Citar

DA SILVA, L. A. S.; SILVA TAVEIRA, A. .; RODRIGUES GUIMARÃES, P. ESTRATÉGIAS ARQUIVÍSTICAS PARA PRESERVAÇÃO DIGITAL DE DOCUMENTOS ARQUIVÍSTICOS DIGITAIS (DAD) EM FORMATO DE IMAGEM. Archeion Online, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 18–37, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/archeion/article/view/62502. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Revisão