Renascida do Inferno

um estudo sobre gênero feminino e violência no cinema

  • Janaina Wazlawick Muller Universidade Feevale
  • Saraí Patricia Schmidt Universidade Feevale

Resumo

O presente artigo aborda os entrelaçamentos entre os estudos de gênero e violência a partir da análise de dois filmes: A vingança de Jennifer (1978), e Doce Vingança (2010). Considerando que as produções estão vinculadas por tratar-se de uma obra original e seu remake, afirma-se que a investigação se dará com a protagonista dos filmes, chamada Jennifer Hills, sua construção e desenvolvimento enquanto personagem, além da exposição dos antagonistas que compõem a trama. Também se destaca a associação dos enredos com o contexto histórico-social no qual estão inseridos. Para tanto, será utilizada a Análise de Conteúdo, evidenciando as categorias Final Girl e Punição/Violência para discutir as cenas selecionadas.

Biografia do Autor

Janaina Wazlawick Muller, Universidade Feevale
Mestre e Doutoranda em Processos e Manifestações Culturais na Universidade Feevale, com bolsa CAPES.
Saraí Patricia Schmidt, Universidade Feevale
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente no programa de pós-graduação em Processos e Manifestações Culturais na Universidade Feevale.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARROS, José D’ Assunção. “Cinema e História: as funções do cinema como agente, fonte e representação da História”. Revista Ler História, Lisboa, n.52, p.127-159, 2007.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2010.

________, Judith. “Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do ‘sexo’”. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2001. p.151-172.

CLOVER, Carol J. “Her body, Himself: gender in the slasher film”. Representations. Berkeley, n.20, p.187-228, 1987.

COLLING, Ana. “A construção histórica do masculino e do feminino”. In: STREY, Marlene N.; CABEDA, Sonia T. Lisboa; PREHN, Denise R. (Orgs.). Gênero e Cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 13-38.

FALUDI, Susan. Backlash: O Contra-ataque na Guerra não declarada contra as mulheres. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MARTINS, Ana Paula Antunes. “O Sujeito ‘nas ondas’ do Feminismo e o lugar do corpo na contemporaneidade”. Revista Café com Sociologia, Maceió, v.4, n.1, p.231-245, 2015.

MATOS, Marlise. “Teorias de gênero ou teorias e gênero? Se e como os estudos de gênero e feministas se transformaram em um campo novo para as ciências”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v.2, n.16, p. 333-357, maio-agosto, 2008.

MORAES, Roque. “Análise de conteúdo”. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

NOGUEIRA, Luís. Manuais de Cinema II: Gêneros Cinematográficos. Covilhã, Portugal: LabCom Books, 2010.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

SCOTT, Joan. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v.2, n.20, p.71-99, julho-dezembro, 1995.

Publicado
2019-12-19
Seção
Artigos