A Performatização de Masculinidades nas Capas de Sui Generis (1995-2000)

  • Ricardo Augusto de Sabóia Feitosa Universidade Federal de Pernambuco
  • Almudena García Manso Universidade Rey Juan Carlos

Resumo

O artigo propõe, a partir de uma leitura crítica de 12 capas publicadas pela revista Sui Generis entre os anos     de 1995 e 2000, analisar a construção discursiva (imagético e textual) das masculinidades, interrogando quais representações do masculino são ali encenadas, reiteradas ou deslocadas. Entende-se que esse conjunto permite refletir criticamente sobre como as masculinidades performadas na publicação inserem-se em processos de negociações e reelaborações editoriais e sociais que, no contexto de uma revista endereçada majoritariamente a uma audiência gay masculina, estão inter-relacionadas a processos mais amplos de visibilização e cenarização pública das homossexualidades no Brasil na virada do último século.

Palavras-chave: Masculinidades. Homossexualidades. Jornalismo. Gênero.

Biografia do Autor

Ricardo Augusto de Sabóia Feitosa, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor Adjunto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Almudena García Manso, Universidade Rey Juan Carlos

Doutora em Sociologia pela Universidade da Salamanca (Espanha). Professora de Ciências da Comunicação na Universidad Rey Juan Carlos (Espanha).

Publicado
2020-09-30
Como Citar
DE SABÓIA FEITOSA, R. A.; GARCÍA MANSO, A. A Performatização de Masculinidades nas Capas de Sui Generis (1995-2000). Culturas Midiáticas, v. 13, n. 1, p. 85-110, 30 set. 2020.
Seção
Artigos - Comunicação, Gênero e Raça