Caracterização da Música Brasileira para efeito de Organização da Informação

Resumo

Sabe-se que o acervo de músicas brasileiras é vasto e reflete as tradições do País em função da sua forte conexão com a cultura local. Do ponto de vista informacional e tecnológico, é importante caracterizar a música brasileira e os seus limites, a fim de permitir a construção estratégias de preservação e organização desses conteúdos musicais. Por outro lado, a literatura aponta algumas definições para o conceito de música brasileira que sugerem uma revisão a fim de formalizar as características desse repertório. Neste artigo é apresentado um estudo etnográfico com músicos especialistas no tema a fim de identificar uma definição mais precisa sobre música popular brasileira e seus atributos mais relevantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Rocha de Faria Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília

Doutorado em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília (2017). Mestrado em Educação Musical pela Universidade de Brasília (2010). Graduação em Educação Artística Habilitação - Licenciatura em Música pela Universidade Federal de Uberlândia (2001). Professora de ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) - Campus Planaltina.

Fernando William Cruz, Universidade de Brasília

Possui graduação em Processamento de Dados pela UnB (1988), mestrado em Informática pela UFPB (1992) e doutorado em Ciências da Informação pela UnB (2008). Tem experiência de mercado na área de TIC, com ênfase em desenvolvimento e suporte de sistemas de informação. Atuamente é professor adjunto da Universidade de Brasília com as seguintes atuações: (i) na Graduação em Engenharia de Software - FGA em disciplinas básicas de computação (sistemas operacionais, sistemas distribuídos, estruturas de dados, arquitetura e redes de computadores), (ii) na Pós-Graduação em Ciência da Informação - FCI realiza pesquisas voltadas para Organização e Representação da Informação, Estudos de Usuários e Bibliotecas Digitais. Participações recentes (desde 2012) em projetos ligados a sistemas colaborativos e web semântica.

Murilo Bastos da Cunha, Universidade de Brasília

É graduado em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (UnB, 1968), mestrado em Administração de Bibliotecas pela Universidade Federal de Minas Gerais (1978), doutor (Ph. D.) em Library Science pela University of Michigan ( EUA,1982), e estágio de pós-doutorado na University of Michigan (1996-97). Professor titular aposentado da UnB, professor permanente do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da UnB, líder do Grupo de Pesquisa sobre Biblioteca digital (UnB-FCI). Foi presidente da Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal e do Conselho Federal de Biblioteconomia. Na UnB ocupou os cargos de diretor da Faculdade de Estudos Sociais Aplicados, chefe do Departamento de Ciência da Informação e Documentação e Diretor da Biblioteca Central (em dois períodos). Publicou os livros: Uso de informações científicas e técnicas no Brasil, com Victor Rosenberg (1983); Bases de dados e bibliotecas brasileiras (1984); Documentação de hoje e de amanhã, com Jaime Robredo (1986 e 1994); Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia (2a. ed., 2016); Dicionário de biblioteconomia e arquivologia (2008), com Cordélia R. O. Cavalcanti; Manual de fontes de informação (2010); Manual de estudo de usuários da informação (2015), com Sueli Amaral e Edmundo Dantas. Atua na pesquisa e docência nas áreas de informação científica e tecnológica, biblioteca digital, estudo de usuários e biblioteca universitária. Editor da Revista Ibero-americana de Ciência da Informação [http://periodicos.unb.br/index.php/RICI/index]; é colunista do blog Biblioteca do Bibliotecário [ https://www.facebook.com/bibliotecadobibliotecario/]. 

Publicado
2020-04-24
Como Citar
Silva, J. R. de F., Cruz, F. W., & Cunha, M. B. da. (2020). Caracterização da Música Brasileira para efeito de Organização da Informação . Informação & Sociedade: Estudos, 30(2). https://doi.org/10.22478/ufpb.1809-4783.2020v30n2.50369
Seção
Relatos de Pesquisa