A INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL COMO INSTRUMENTO DE AUTOAVALIAÇÃO EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

  • Paulo Roberto Cerqueira de Oliveira Cobbe Centro Universitário de Brasília
  • Remis Balaniuk Universidade Católica de Brasília
  • Edilson Ferneda Universidade Católica de Brasília
  • Hércules Antonio do Prado Universidade Católica de Brasília
Palavras-chave: Inteligência Organizacional, Ensino Superior, Autoavaliação

Resumo

Com o aprimoramento dos instrumentos de avaliação das instituições de ensino superior brasileiras nas últimas décadas e as crescentes exigências regulatórias quanto à qualidade do ensino e autogestão, instituições de ensino superior brasileiras precisam encontrar meios para aprimorar seus processos avaliativos por meio da aplicação de ferramentas que efetivamente auxiliem sua gestão institucional frente a essas exigências. A inteligência organizacional é um macro processo que, apoiada pela inteligência de negócios e pelas tecnologias de informação, provê às instituições de ensino a capacidade de observar sua real situação e, assim, tomar as decisões necessárias para se orientar continuamente rumo aos objetivos estabelecidos no seu planejamento estratégico. Este artigo mostra como instituições de ensino podem aplicar esse macroprocesso em seus processos de gestão institucional para alcançar inovações que assegurem evolução na qualidade de ensino oferecida. Por meio de um estudo de caso, é apresentado um possível caminho para assegurar essas inovações, e, consequentemente, contribuir para consolidar seu conceito junto à sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Roberto Cerqueira de Oliveira Cobbe, Centro Universitário de Brasília
Possui Mestrado em Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação pela Universidade Católica de Brasília, graduação em Administração pelo Centro Universitário de Brasília, graduação em Programação / Análise de Sistemas - Waukesha County Technical College. Atualmente realiza pesquisas em evasão estudantil, descoberta de conhecimento em banco de dados e mineração de dados com foco em instituições de ensino superior.
Remis Balaniuk, Universidade Católica de Brasília
Pós-doutorado em Realidade Virtual pela Stanford University - EUA (2002), Doutor em Informática pelo Institut National Polytechnique de Grenoble - França (1996), Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989) e Tecnólogo em Processamento de Dados pela Universidade de Brasília (1986). Atualmente é professor e pesquisador da Universidade Católica de Brasília, analista do Tribunal de Contas da União onde é especialista em Business Intelligence e Data Mining, revisor do International Journal of Medical Robotics and Computer Assisted Surgery e do IEEE Transactions on Robotics and Automation. Atua principalmente na área de Ciência da Computação, com ênfase em Realidade Virtual, onde desenvolve pesquisas na modelagem de objetos deformáveis e no uso de interfaces hápticas aplicada à simulação de procedimentos médicos, e em Data Mining, onde atua como especialista na detecção de fraudes.
Edilson Ferneda, Universidade Católica de Brasília
Possui graduação em Tecnologia de Computação pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1979), mestrado em Sistemas e Computação pela Universidade Federal da Paraíba (1988) e doutorado em Computação pelo Laboratoire d'Informatique, Robotique et Microélectronique de Monpellier (LIRMM), França (1992). Atualmente é professor titular da Universidade Católica de Brasília, onde atua no Curso de Bacharelado em Ciência da Computação e no Mestrado em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação. Seus interesses incluem Inteligência Artificial e Gestão do Conhecimento.
Hércules Antonio do Prado, Universidade Católica de Brasília
graduado em Processamento de Dados pela Universidade Federal de São Carlos (1976), mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós Graduação e Pesquisa de Engenharia (1989) e doutor em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001), com estágio doutoral na University of Pittsburgh, EUA (1999). Atualmente é analista da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, docente no Mestrado em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação da Universidade Católica de Brasília, membro do Comitê Técnico da Embrapa Sede e Diretor-Técnico da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica (Fundação Eliseu Alves). Foi membro do Conselho Curador desta mesma fundação e do corpo de avaliadores de cursos de graduação do INEP-Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas. Trabalha e desenvolve pesquisas nas áreas de gestão organizacional, planejamento estratégico, gestão do conhecimento, aprendizagem organizacional e inteligência competitiva.
Publicado
2015-12-22
Como Citar
Cobbe, P. R. C. de O., Balaniuk, R., Ferneda, E., & do Prado, H. A. (2015). A INTELIGÊNCIA ORGANIZACIONAL COMO INSTRUMENTO DE AUTOAVALIAÇÃO EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR. Perspectivas Em Gestão & Conhecimento, 5(2), 111-126. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc/article/view/21729
Seção
Relatos de Pesquisa | Research Articles