O Impresso e uma Visão Caótica da Cidade de Fortaleza na Década de 1920

Autores

  • Francisco Linhares Fonteles Neto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Ceará, Crime em Jornais, Notícias Criminais.

Resumo

O presente artigo procura apresentar as construções sobre o mundo do crime na cidade de Fortaleza, produzidas pela imprensa nos anos de 1920. Nessa década, em particular, verifica-se um crescimento da população, uma maior presença dos impressos circulando na urbe e, paralelo a isso, o medo da desordem e do crime provocados pelo aumento populacional. Tais fatores foram muito bem utilizados pela imprensa, que soube potencializar o medo na cidade a respeito de uma possível desordem iminente, além de criar estratégias para vender suas notícias de crime.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Linhares Fonteles Neto, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutor em História Social pela UFRJ, Professor Adjunto IV, Departamento de História - UERN. Área de Teoria Metodologia da História. Especialista em Brasil Império e Primeira Republica. franciscolinhares79@gmail.com

Referências

ALVAREZ, Marcos César. Apontamentos para uma história da criminologia no Brasil. In: KOENER, Andrei. (Org.). História da justiça penal no Brasil: pesquisas e análises. São Paulo: IBCCRIM, 2006. p. 129-151. (Monografia n. 40).

BARBOSA, Marta Emisia. Cidade na contramão: Fortaleza nas primeiras décadas do século XX. Dissertação (Mestrado em História) - PUC-SP, 1996.

BRESCIANI. Maria Estella. Londres e Paris. O espetáculo da pobreza. São Paulo: Brasiliense, 2004. (1° edição 1982).

BRETAS, Marcos Luiz. A guerra das ruas: povo e polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

CARVALHEIRO, Edgard; MENESES, Raimundo de. Histórias de crimes e criminosos: uma antologia de contos brasileiros. São Paulo: Civilização Brasileira, 1956.

CHALHOUB, Sidney. Revista Trabalhadores: Classes perigosas. Campinas: Associação cultural do Arquivo Edgard Leuenroth. SMCSP. N. 6, 1990.

CHALHOUB, Sidney. Cidade Febril: Cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

COSTA, Flavio Moreira Da (org.). Crime Feito em Casa: contos policiais brasileiros. Rio de Janeiro: Record, 2005.

CRUZ, Eloisa de Faria. São Paulo em papel e tinta: periodismo e vida urbana 1890-1915. p. 161.

DELUMEAU, Jean. História do medo no Ocidente. Uma cidade sitiada 1300-1800. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

FERLA, Luis. Feios, sujos e malvados sob medida. A utopia médica do biodeterminismo. São Paulo, 1920-1945. São Paulo: Alameda, 2009.

FONTELES NETO, Francisco Linhares. Cotidiano e atuação policial em Fortaleza: entre o dever e a prática nas primeiras décadas do século XX. Trajetos: Revista da Pós-Graduação em História Social da UFC. Dossiê: Cultura e Cidade, v. 4, n.7, 2006, p. 95-118.

FREITAS. Wagner Cinelli de Paula. Espaço Urbano e Criminalidade: Lições da Escola de Chicago. São Paulo: Editora Método, 2004.

HARRIS, Ruth. Assassinato e Loucura: Medicina, leis e sociedade no fin de siècle. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1993.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Meu lar é o botequim: alcoolismo e masculinidade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2000.

MENESES, Raimundo de. Crimes e criminosos celebres. São Paulo: Livraria Martins, 1962.

MUCHEMBLED, Robert. História da violência: do fim da idade Média aos nossos dias. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

NEVES, Frederico de Castro. Estranhos na Belle Époque: a multidão como sujeito político. Trajetos (UFC), Fortaleza, v. 6, n.6, 2005, p. 113-138.

NEVES, Frederico de Castro. Curral dos Bárbaros: os Campos de Concentração no Ceará (1915 e 1932). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n.29, 1995, p. 93-122.

PECHEMAN, Robert Moses. Cidades estreitamente vigiadas: o detetive e o urbanista. Rio de Janeiro: Casa da palavra, 2002.

PICCATO, Pablo. El discurso sobre la criminalidade y el alcoholismo hacia fin del porfiriato. In: Hábitos normas y escândalo: prensa, criminalidade y drogas durante el porfiriato tardio. MONTFORT, Ricardo Perez, et al. (Orgs.). México: Plaza y Valdéz, 1997, p. 75-134.

PORTO, Ana Gomes. Novelas sangrentas: literatura de crime no Brasil 1870-1920. Tese Doutorado em História Social - Unicamp, Campinas-Sp, 2009.

SCHUWARCS, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SHIZUNO, Elena Camargo. A Revista Vida Policial (1925-1927): mistérios e dramas em contos e folhetins. Tese de Doutorado em História - UFPR, Curitiba, 2011.

SHIZUNO, Elena Camargo. Narrativa criminal na Revista Vida Policial. Revista Percurso: Sociedade, Natureza e Cultura, n. 10, 2009, p.57-77.

SILVA, Sonia Maria de Meneses da. As chaves da cidade: civilização e violência na construção do espaço urbano de Fortaleza na segunda metade do Século XIX. Dissertação (Mestrado em História Social) – UFRJ, Rio de Janeiro, 2000.

Fontes

Jornal A Tribuna do Ceará, 20 de outubro de 1923, p. 3.

Jornal A Tribuna, 6 de julho de 1921, p. 2.

Jornal Correio do Ceará, 10 de janeiro de 1928, p.7.

Jornal Correio do Ceará, 18 de janeiro de 1928. p. 4.

Jornal Correio do Ceará, 5 de janeiro de 1928, p. 7.

Jornal O Nordeste, 11 de janeiro de 1926, p. 2.

Jornal O Nordeste, 23 de outubro de 1923, p. 2.

Jornal O Nordeste, 31 de dezembro de 1927, p.2.

Jornal O Nordeste,1 de dezembro de 1927, p. 7.

Relatório apresentado ao Exmo. Sr. Desembargador José Moreira da Rocha, Presidente do Estado, pelo sr. Dr. José Pires de Carvalho, chefe de polícia, compreendendo o período administrativo de 12 de julho de 1924 a 31 de maio de 1925, p. 30.

Relatório do Presidente de Província, José Moreira da Rocha, enviado à Assembleia Legislativa do Ceará, 1927, p.27.

Relatório do Presidente de Província, José Moreira da Rocha, enviado à Assembleia Legislativa do Ceará, 1928, p. 46

Revista a Jandaia, Fortaleza - Ce, 1927. p. 5.

Revista Verdes Mares, Fortaleza - Ce, 1929, p. 6.

Downloads

Publicado

2016-02-29

Como Citar

FONTELES NETO, F. L. O Impresso e uma Visão Caótica da Cidade de Fortaleza na Década de 1920. Prim Facie, [S. l.], v. 15, n. 28, p. 01–25, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/primafacie/article/view/25200. Acesso em: 17 abr. 2024.