Reflexões sobre o game Divertida Mente na Rádio Disney e o simulacro de Baudrillard

  • Kamilla Avelar PPGC/UFPB
  • Nair Prata

Resumo

Jean Baudrillard cunhou os conceitos de simulação e simulacro como substitutos da realidade. Para o autor, o que existe são representações que assumem por vezes o caráter da neo-realidade ou hiper-realidade. A construção da hiper-realidade é mediada pela máxima exploração do significante resultando em fragmentos da realidade. A partir da explanação dos conceitos, este artigo pretende apresentar o aplicativo Rádio Disney e analisar o game Divertida Mente, que integra o aplicativo da rádio. A pesquisa se desenvolve à luz das ideias cunhadas por Baudrillard e pela pesquisa exploratória. A partir desses elementos é possível concluir que o aplicativo é um suporte com capacidades de criar e recriar situações que representam a magia em um exercício autor-referencial.

Palavras-chave: Simulacro. Simulações. Dispositivos móveis. Rádio Disney. Games.

Biografia do Autor

Kamilla Avelar, PPGC/UFPB
Marcos Antonio Nicolau possui graduação em Comunicação Social (jornalismo) pela Universidade Federal da Paraíba (1988), especialização em Metodologia da Comunicação pela UFPB (1989), mestrado em Educação pela UFPB (1996) e doutorado em Letras pela UFPB (2001). Pós-Doutorado em Comunicação na UFRJ. É professor do Departamento de Mídias Digitais e Coordena o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFPB; ensina e pesquisa os seguintes temas: comunicação e semiótica, jornalismo, radialismo, criatividade, design e criação publicitária, lingüística aplicada ao texto publicitário, história em quadrinhos. Edita a Revista Temática (www.insite.pro.br).
Publicado
2017-10-19
Seção
Artigos