O Cine-Bixa e nossos diálogos sobre diversidade sexual e de gênero

um relato de experiência

  • Luciana Maria Ribeiro de Oliveira UFPB

Resumo

O texto a seguir se caracteriza por ser um relato de experiência do projeto de extensão Cine-Bixa (2018/FLUEX/UFPB), que tem como objetivo realizar exibições/intervenções fílmicas sobre diversidade sexual e de gênero em espaços e instituições dentro e fora da Universidade. Intenta-se, através das atividades realizadas, criar novas possibilidades de diálogo, reflexão crítica e mudança social na busca de um melhor viver e conviver entre pessoas LGBTQI+ e não-LGBTQI+. A partir de uma perspectiva metodológica de intervenção pela educação e compreendendo essa última enquanto instrumento de transformação social e libertação da opressão (FREIRE, 1996), que promova o acolhimento às diversidades que nela circulam e dela fazem parte (LOURO, 2013), é que o Cine-Bixa se delineia. O projeto é recente, sendo criado no ano em curso, mas já nos é possível visualizar algumas reflexões teóricas iniciais a partir das observações “de perto e de dentro” (MAGNANI, 2002; 2009) realizadas nas exibições/intervenções ocorridas. Isso também nos posiciona com olhares atentos de pesquisadores para os fenômenos que surgem no movimento em execução.

 

PALAVRAS-CHAVE: Extensão. Educação. Gênero. Sexualidade.

Biografia do Autor

Luciana Maria Ribeiro de Oliveira, UFPB
Professora Adjunta do Departamento de Ciências Sociais - DCS/UFPB Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGA/UFPB Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografias Urbanas - GUETU/UFPB

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

FALQUET, Jules. Romper o tabu da heterossexualidade: contribuições da lesbianidade como movimento social e teoria política. Cadernos de Crítica Feminista. Ano VI. N. 5 – dezembro/2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1996.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais. v.17, n.49. São Paulo: junho, 2002.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. A etnografia como prática e experiência. Horizontes antropológicos. vol.15, n.32. Porto Alegre: jul./dez. 2009.

PERLONGHER, Néstor. Prosa Plebeya. Ensayos 1980-1992. Buenos Aires: Ediciones Colihue, 1997.

SILVA, Larissa M. Pelúcio. Subalterno quem, cara pálida? Apontamentos às margens sobre pós-colonialismos, feminismos e estudos queer. Contemporânea - Revista de Sociologia da UFSCar. v. 2, n. 2, p. 395-418, 2012.

Publicado
2020-03-06
Seção
Dossiê Campos de extensão universitária na antropologia brasileira