Reflexões sobre experiência no processo de tratamento, digitalização e compartilhamento do acervo fotográfico de Théo Brandão

  • Iara Ferreira de Souza Universidade Federal de Alagoas
  • Tayná Almeida de Paula Universidade Federal de Alagoas
  • Tamara Roque Caetano Universidade Federal de Alagoas
  • Letícia Nogueira Romariz Medeiros Universidade Federal de Alagoas

Resumo

Este artigo apresenta os resultados iniciais do projeto “Memória e fotografia no Folclore Alagoano: da preservação ao compartilhamento de imagens”, que foi desenvolvido no acervo fotográfico do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (MTB) entre 2017 e 2018. Em sua maioria, os registros fotográficos abordados aqui contêm imagens de folguedos populares alagoanos pelos olhares de diferentes fotógrafos, principalmente entre as décadas de 1930 e 1960, momento que corrobora com a importância da documentação fotográfica no contexto do Movimento Folclórico Brasileiro. Através do projeto, foi possível a digitalização de duas subséries fotográficas: “Reisado” e “Guerreiro”, tendo como principal objetivo o compartilhamento e a disponibilização desses documentos. Nesse sentido, o trabalho busca refletir sobre o tratamento documental das fotografias a partir de uma perspectiva antropológica, abordando a trajetória do acervo e a nossa experiência enquanto equipe do projeto.

Biografia do Autor

Iara Ferreira de Souza, Universidade Federal de Alagoas
Mestranda em Antropologia Social
Tayná Almeida de Paula, Universidade Federal de Alagoas
Graduanda em Ciências Sociais Bacharelado
Tamara Roque Caetano, Universidade Federal de Alagoas
Graduanda em Ciências Sociais Bacharelado
Letícia Nogueira Romariz Medeiros, Universidade Federal de Alagoas
Graduanda em Letras-Inglês Licenciatura

Referências

BRANDÃO, Théo. O Guerreiro. In Folguedos Natalinos. Universidade Federal de Alagoas; Museu Théo Brandão, 2003.

BRANDÃO, Théo. O Reisado. In Folguedos Natalinos. Universidade Federal de Alagoas; Museu Théo Brandão, 2003.

CASTRO, Celso. Pesquisando arquivos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 64 p, 2008.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. Cultura e saber do povo: uma perspectiva antropológica. Revista Tempo Brasileiro. Patrimônio Imaterial. Org. Londres, Cecília. Out-Dez, n °147. pp. 69-78. Rio de Janeiro: Ed. Tempo Brasileiro, 2001.

CHAVES, Julio César. Uma Biografia Cultural da Sala Fé da Exposição de Longa Duração do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore - Ensaio de Museologia Etnográfica. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social. Universidade de Coimbra, 2015.

DANTAS, C. LÔBO, F. MATA, V. (org). Théo Brandão: vida em dimensão. Maceió, Sec. de Estado de Cultura, 2008.

EDWARDS, E. Photographs as objects of memory. In: CANDLIN, F.; GUINS, R. The object reader. New York: Routledge, 2009.

MAIA, Kauê Oliveira. Fotografia e Cultura Popular: Um Estudo Antropológico do Acervo Fotográfico do Museu Théo Brandão. Trabalho de Conclusão de Curso em Ciências Sociais. Universidade Federal de Alagoas, 2011.

PORTO, Nuno. “Para uma museologia do Sul Global: multiversidade, descolonização e indigenização dos museus”. Revista Mundaú, PPGAS/UFAL. (No prelo, 2016).

RECHENBERG, Fernanda. “Fotografia e memória da cultura popular em Alagoas: considerações sobre o acervo de Théo Brandão”. In: SANTANA, Luciana; CAVALCANTI, Bruno César; VASCONCELOS, Ruth. (Org.). História e Memória das Ciências Sociais em Alagoas. 1ed.Maceió: EDUFAL/Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2017, v. 1, p. 131-137,

RIAL, Carmen Silvia de Moraes. Roubar a alma: ou as dificuldades da restituição. Revista Tessituras, Pelotas, v. 2, n. 2, p. 201-212, jul./dez. 2014.

RIZZI, Iuri Rocio Franco. O Processo de Institucionalização do Acervos Documentais do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização em Antropologia. Universidade Federal de Alagoas, 2014

SEGALA, Lygia. A coleção fotográfica de Marcel Gautherot. Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v.13. n.2. p. 73-134. jul.- dez. 2005.

VILHENA, Luís Rodolfo. Projeto e missão: o movimento folclórico brasileiro (1947 -1964). Rio de Janeiro: FUNARTE/ FGV, 1997.

Publicado
2020-03-06