AntropoArte

um projeto de extensão e a construção de pesquisas etnográficas

Resumo

Este trabalho deriva de uma pesquisa anterior (CNPq-PVE) realizada em várias favelas e conjuntos habitacionais na cidade de Campos de Goytacazes, situada na região Norte Fluminense. Focamos a pesquisa de extensão numa favela, chamada Margem da Linha, cujos moradores, em particular um grupo de jovens e suas famílias, vivenciaram períodos de remoção. Entre a experiência da imagem na etnografia e a performance, a pesquisa AntropoArte traz interessantes cruzamentos entre arte, política, processo de urbanização bem como acesso diferenciado à cidade. Este texto propõe uma reflexão crítica sobre a prática da etnografia a partir da experiência de pesquisa extensionista e sua metodologia. Por isso, vamos analisar duas produções realizadas pelo projeto citado: a construção de um mapa falado baseado em encontros, “Caminhando na favela da Margem da Linha”, e um documentário etnográfico que resgata o processo de oficinas de fotografia e a construção de uma performance.

Biografia do Autor

Caterine Reginensi, Uenf Universidade Estadual do Norte Fluminense, Darcy Ribeiro

Professora Titular – Universidade Estadual do Norte Fluminense, Darcy Ribeiro, Uenf/CCH/LEE, Brasil.

Referências

BARBOSA, Andrea. Fotografia, narrativa e experiência. In: Barbosa A., Cunha E.T. da, Satiko, R., Novaes, S.C. Experiência da imagem na etnografia. São Paulo: Terceiro Mundo, 2016.

BOAL, Augusto. O teatro do oprimido. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

COLLIER John Jr., Collier Malcom. Visual Anthropology: Photography and research Method. Albuquerque: University of New Mexico Press, 2007.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Felix. Mille plateaux: capitalisme et schizophrénie. Paris: Les Editions de Minuit, 1980.

FONSECA, Claudia. Trajetória de uma antropóloga com sotaque: entrevista com Claudia Fonseca. Horiz. antropol., Porto Alegre, v. 15, n. 32, p. 331-352, Dec. 2009 Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010471832009000200014&lng en&nrmiso>. Acesso em: abril de 2018.

GRAMSCI, Antônio. Carnets de prison. Paris: Gallimard, 1978.

HIJIKI SATIKO e Rose, CAFFE, Carolina. 2013. Filme como etnografia compartilhada: em campo, na ilha, no ar. In: Dawsey J., MullerR.Hijiki, R. Monteiro. M., Antropologia e performance. Ensaios na pedra. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2013. 339-360 p.

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. 3. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

MENEZES, Marluci. Das metodologias visuais a uma perspectiva interdisciplinar de abordagem das práticas sociais. XV Congresso Brasileiro de Sociologia – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil, 2011. Disponível em: <2107 https://www.researchgate.net/publication/317742672 > Acesso em: setembro de 2018.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Tradução brasileira Campinas, Papirus Editora, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível: Estética e Política. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2005.

RANCIÈRE, Jacques. Le spectateur émancipé. Paris: La Fabrique, 2008.

REGINENSI, Caterine. Etnografia das margens da cidade: A Margem da Linha em Campos dos Goytacazes. Terceiro Milênio, Revista Crítica de Sociologia e Política, 3 (2), 2015. 19-41 p.

REGINENSI, Caterine. Não tem mais trem, mas tem ferrovia!: imagens e performance como etnografia de um lugar chamado a Margem da Linha, Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense. GT Nº 69: Entre arte e política: articulações contemporâneas em pesquisas antropológicas. Libro de Actas. XII Reunión de Antropología del Mercosur – Del 4 al 7 de diciembre de 2017. RAM 2017, Posadas, Misiones, Argentina, dez. 2017. 9525-9541 p.

REGINENSI, Caterine, BARROS, M. Douglas. A experiência da imagem nos estudos etnográficos: aprendendo pela caminhada, fotografando e fazendo encontros. Anais 18th IUAES World Congress, July 16th to 20th 2018 Federal University of Santa Catarina (Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC), Florianópolis. OP048. Cities and Images: ethnographic studies.

SILVA, Hélio.R.S. A situação etnográfica: andar e ver. Horizontes Antropológicos, 15, (32):171–188, 2009.

SIQUEIRA, Antenora, M. Da Matta. A produção nas margens: a capoeira como processo de resistência, luta e arte. Terceiro Milênio, Revista Crítica de Sociologia e Política, 3 (2), 2015. 145-160 p.

VOGEL, Arno, MELLO da Silva, Marco Antônio e MOLLICA, Orlando. Desenhos. 2017. Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro.

Publicado
2020-03-06
Seção
Dossiê Campos de extensão universitária na antropologia brasileira