Emoções no campo de pesquisa

Reflexões metodológicas sobre etnografia em instituição para tratamento oncológico

  • Rosilene Souza Gomes Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Instituto do Câncer

Resumo

O artigo discute questões metodológicas de etnografia realizada em instituição de referência para o tratamento em ginecologia oncológica. A análise aborda dois aspectos: a dupla identidade de pesquisadora e profissional e a escolha do lócus da pesquisa. A etnografia foi realizada nos primeiros atendimentos prestados às usuárias, e o objetivo era verificar como se performa o ideal de “autonomia da paciente”. As mulheres foram acompanhadas nas consultas e a pesquisadora compartilhou de suas dores e constrangimentos. Essa experiência provocou fortes emoções, inesperadas e desagradáveis, mas que instigaram a produção do conhecimento. A observação foi fundamental para a compreensão das tensões e potências que integram os cuidados, e de que maneira essas compõem as formas como é performado o ideal de autonomia do paciente na instituição – além de evidenciar os seus limites. O lócus da pesquisa mostrou-se fundamental para a produção do conhecimento.

PALAVRAS-CHAVE:
Câncer de colo de útero. Antropologia da saúde. Etnografia. Emoções.

Publicado
2021-02-07