Acepções de massa e multidão na modernidade e na contemporaneidade

Autores

  • Jadson Maia Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • Sebastião Guilherme Albano Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Palavras-chave:

Massa, Multidão, Movimentos Sociais, Comunicação

Resumo

O presente artigo parte de prerrogativas de uma pesquisa em andamento que diz respeito à evolução da práxis dos movimentos sociais e de emancipação contemporâneos, especialmente no tocante a sua apropriação das tecnologias de comunicação e informação. Aqui, tão somente trataremos de aspectos como o dado de que na contemporaneidade observa-se a incursão desses movimentos em direção à forma disseminada em rede, modelo de operação que subverte lógicas anteriores, baseadas em hierarquia e burocracia, nas quais a noção de massa permanece implicada. Dessa maneira, o conceito de multidão, resgatado por Baruch Spinoza e atualizado por Antonio Negri e depois por Michael Hardt propõe-se a compreender as manifestações e o ethos dessa categoria que desconsidera a ideia de povo e de massa e une em seu cerne aspectos políticos, econômicos e sociais atuando mediante a comunicação, a cooperação e a colaboração. Assim, um de seus objetivos constituintes perece ser mesmo a renovação do projeto de democracia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-27

Como Citar

MAIA, J.; ALBANO, S. G. Acepções de massa e multidão na modernidade e na contemporaneidade. Culturas Midiáticas, [S. l.], v. 8, n. 2, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/cm/article/view/27216. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos