Entre Thomas e seus amigos e a Turma do Doki: (re)ligação, (re)encantamento e consumo

Autores

  • Bruno Anselmo da Silva PPGC/UFPB
  • Karla Patriota Bronsztein

Resumo

Artefatos e/ou rituais, tidos, às vezes, como triviais e até insignificantes passam a comunicar diversos aspectos inquietantes da cultura vigente. Tendo tal perspectiva como norteadora, este artigo, se ancora em duas séries internacionais de TV, famosas, atualmente, entre o público infantil brasileiro - Thomas e seus amigos e A turma do Doki - como ponto de partida para a refletirmos sobre o processo de reencantamento, vivenciado pelo Ocidente na passagem da modernidade para a pós-modernidade. Para isso, usamos as lentes da religião, com a concepção protestante de “vocação” e seu proeminente papel na constituição da modernidade e do capitalismo. A ideia, portanto, é revelar os contrastes entre as vivências e práticas tipicamente modernas com aquelas em curso nas ambiências atuais. Em paralelo, a noção de reencantamento do mundo, desdobramento de um conceito fundamental da sociologia weberiana, nos ajudou a entender o lugar de fato ocupado pelo consumo na pós-modernidade. Palavras-chave: Reencantamento. Consumo. Pós-modernidade. Séries infantis. Vocação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

SILVA, B. A. da; BRONSZTEIN, K. P. Entre Thomas e seus amigos e a Turma do Doki: (re)ligação, (re)encantamento e consumo. Culturas Midiáticas, [S. l.], v. 9, n. 1, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/cm/article/view/29363. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)