O imaginário nos movimentos do corpo e da memória: a atualização do mito do duplo em Cisne Negro

  • Elza Kioko Nakayama Nenoki do Couto PPGC/UFPB
  • Lorena Araújo de Oliveira Borges

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de apresentar como o mito do duplo é atualizado no filme Cisne Negro (2010), de Darren Aronofsky. Para tanto, nos sustentaremos no aporte teórico de Bergson (1999) e da Antropologia do Imaginário (DURAND, 1983, 1996, 1997, 1998). Nosso corpus de análise foi limitado a duas imagens publicitárias do filme, bem como no enredo desenvolvido ao longo da trama – sem o qual as imagens não poderiam ser interpretadas. As imagens foram divulgadas juntamente com o longa e retratam, respectivamente, o cisne branco e o cisne negro. A partir delas, classificamos as imagens que, dinamizadas pela memória, presentificam-se na história de Cisne Negro e captamos, a partir delas, as possíveis ressonâncias míticas do mito do duplo. Palavras-chave: Corpo. Memória. Imaginário. Mito do duplo. Cisne Negro.
Publicado
2016-06-30
Como Citar
COUTO, E. K. N. N. DO; BORGES, L. A. DE O. O imaginário nos movimentos do corpo e da memória: a atualização do mito do duplo em Cisne Negro. Culturas Midiáticas, v. 9, n. 1, 30 jun. 2016.
Seção
Dossiê: Comunicação e imaginário