VARIAÇÃO DA NASALIDADE VOCÁLICA DE FREGUESIA DO ANDIRÁ – BARREIRINHA, NO AMAZONAS: CORPUS DE VOGAIS EM SÍLABA TÔNICA

Autores

  • Tatiana Belmonte dos Santos Rodrigues UFMG

Palavras-chave:

Comunidade do Andirá, Nasalidade, Sociolinguística.

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever a nasalidade na fala dos moradores nativos de Barreirinha, no distrito de Freguesia do Andirá, no Amazonas. Através de um estudo diacrônico da nasalidade do latim (WILLIAM,1961) até o português moderno (CÂMARA JR, 1984) é possível identificar o seu surgimento e as suas transformações. Alguns aspectos da nasalidade no português arcaico descritos por Bueno (1967), nos despertaram para a identificação do fenômeno realizado em Freguesia do Andirá. Este é um trabalho quali-quantitativo, que segue os parâmetros da teoria sociovariacionista (LABOV, 1991). A análise dos dados coletados indicou a constatação de uma variação de nasalidade neste distrito de Barreirinha, que se assemelha à variação ocorrente no português arcaico, e, ainda, apontou para um processo de transformação do fenômeno, como em progressão, considerando as variáveis sociolinguísticas analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Belmonte dos Santos Rodrigues, UFMG

Especialista em metodologia do Ensino de Língua Inglesa. Mestre em Letras (UFAM). Doutoranda em Estudos da Linguagem (POSLIN-UFMG)

Downloads

Publicado

2017-01-20

Como Citar

Rodrigues, T. B. dos S. (2017). VARIAÇÃO DA NASALIDADE VOCÁLICA DE FREGUESIA DO ANDIRÁ – BARREIRINHA, NO AMAZONAS: CORPUS DE VOGAIS EM SÍLABA TÔNICA. DLCV - Língua, Linguística &Amp; Literatura, 11(2), 31–58. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/dclv/article/view/18572

Edição

Seção

Artigos