O PROJETO LÓGICO-LINGUÍSTICO E EPISTEMOLÓGICO DO AUFBAU DE RUDOLF CARNAP

  • Pedro Henrique Nogueira Pizzutti Mestrando em Filosofia na Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Gelson Liston Doutor em Filosofia e Professor Associado do Departamento de Filosofia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e do PPGFIL/UEL
Palavras-chave: Empirismo Lógico, Fundacionismo, Rudolf Carnap, Aufbau, Reavaliação.

Resumo

O artigo tem por objetivo conduzir uma reavaliação do projeto construcional de Rudolf Carnap apresentado no Aufbau. Historicamente, os principais críticos e divulgadores da obra carnapiana focaram seus comentários sobre a plataforma de reconstrução racional do conhecimento científico constituída no Aufbau. Identificando Carnap e o movimento do Empirismo Lógico com uma versão ingênua do fundacionismo justificacionista, que seguia as linhas do Empirismo Moderno, criaram, assim, uma visão estereotipada da obra. Neste artigo, retomamos o Aufbau de Carnap, mostrando como a leitura clássica desses críticos, em especial a de Quine em “Epistemologia naturaliza”, não faz jus ao projeto apresentado no texto do Aufbau. Partindo da questão, “o projeto construcional é lógico-linguístico ou epistemológico? ”, reconsideramos os principais pontos da obra, mostrando que esta apresenta um projeto lógico-linguístico em detrimento a um projeto estritamente epistemológico, como defende a interpretação clássica

Referências

AYER, A.J. Language, truth and logic. England, London: Penguin Group, 1971.

______. Logical positivism. USA, New York: The Free Press, 1959.

CARNAP, R. An introduction to the philosophy of science. Edited by Martin Gardner. New York: Dover Publications, 1995.

______. Da Epistemologia à lógica da ciência. Tradução de Gilson Olegario da Silva. Disputatio. Philosophical research bulletin. Vol. 1, No. 1, 2012, p. 131-135.

______. Intellectual Autobiography. In: Schilpp, P.A. (ed.). The philosophy of Rudolf Carnap. La Salle: Open Court, 1963.

______. Pseudoproblemas na filosofia. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975.

______. Testabilidade e Significado. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1975a.

______. The logical structure of the world. Translated by Rolf A. George. California: University of California Press, 2005.

______. The logical syntax of language. London: Routledge & Kegan Paul. Reprinted in India: Facsimile Publisher, 2017.

CARUS, A.W. Carnap and twentieth century thought. Cambridge: Cambridge University of Press, 2009.

CIRERA, R. Carnap and the Vienna circle. Translated by Dick Edelstein. Amsterdam: Editions Rodopi B.V, 1994.

COFFA, J.A. The semantic tradition from Kant to Carnap: to the Vienna Station. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

CREATH, R. Before explication. In: (Wagner, 2012), 2012.

DESCARTES, R. Meditações. Tradução de J. Guinsburg e Bento Prado Júnior. Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural. 4ª. edição, 1987-1988.

DUTRA, L.H.A. Pragmática da investigação científica. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

FRIEDMAN, M. Introduction: Carnap’s revolution in philosophy. In: (Friedman & Creath, 2007), 2007.

______. Reconsidering logical positivism. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.

______. The re-evaluation of logical positivism. The journal of philosophy. Vol. 88, p. 505-519, 1991.

FRIEDMAN, M & CREATH, R. (eds.). The Cambridge companion to Carnap. Cambridge: Cambridge Press, 2007.

HAACK, S. A filosofia das lógicas. Tradução de Cezar Augusto Mortari e Luiz de Araújo Dutra. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

______. Evidence and inquiry. Union King, Oxford & USA, Cambridge; Massachusetts: Blackwell Publishers, 1993.

LISTON, G. Carnap: lógica, linguagem e ciência. São Paulo: Editora PHI, 2015.

______. Carnap e o Revisionismo. Principia. Vol. 16, p. 99-119, 2012.

______. Carnap, Friedman e o revisionismo. Principia. Vol. 17, p. 137-164, 2013.

POPPER, K. A lógica da pesquisa científica. Tradução de Leonidas Hegenberg e Octanny Silveira da Mota. São Paulo: Editora Cultrix, 2013.

QUINE, W.V.O. De um ponto de vista lógico: nove ensaios lógico-filosóficos. Tradução de Antonio Ianni Segatto. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

______. Dois dogmas do empirismo. Tradução de Antonio Ianni Segatto. In: (Quine, 2011), 2011a.

______. Epistemologia naturalizada. Tradução de Andréa Maria Altino de Campos Loparic. Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1989.

RICHARDSON, A. W. Carnap’s construction of the world. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

RUSSELL, B. Our knowledge of the external world. Edition published in the Taylor & Francis e-Library, 2009.

RUSSELL, B & WHITEHEAD, A.N. Principia mathematica. England, Cambridge: Cambridge University Press, 1910.

STEGMÜLLER, W. A filosofia contemporânea: introdução crítica. Tradução de Adaury Fiorotti e Edwino A. Royer. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2ª Edição, 2012.

Publicado
2019-12-24
Seção
Artigos