COMO INTERNALIZAR NORMAS MORAIS?

O SENTIMENTALISMO MORAL DE JOHN STUART MILL EM FOCO

  • Bruno Braga UFMG
Palavras-chave: Moralidade, Motivação, Sanção, Sentimento

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo expor a teoria sentimentalista de J. S. Mill como uma possível resposta à seguinte pergunta: Como internalizamos normas morais? Para tanto, este texto será dividido em duas partes. Em primeiro lugar, exponho o papel das sanções externas na formação dos motivos iniciais que moldam a conduta moral, destacando sua ineficiência prática enquanto fontes de obrigatoriedade. Em segundo lugar, apresento a teoria sentimentalista de Mill enquanto sanção interna, destacando, em contrapartida, sua eficiência prática enquanto fonte de obrigatoriedade. Concluo, ao fim, que a teoria sentimentalista de J. S. Mill, embora limitada pelos aparatos conceituais de sua época, possibilita um interessante ponto de partida para pensarmos os meios pelos quais é possível efetivar um padrão moral.

Referências

Bentham, J. Uma Introdução aos Princípios da Moral e da Legislação. Trad. Luiz João Baraúna. In: Col. Os Pensadores – 3. Ed. – São Paulo: Abril Cultural, 1984.

______. An Introduction to the Principles of Moral and Legislation. Edinburgh: William Tait, 1843.

Crisp, R. Routledge Philosophy Guidebook to Mill on Utilitarianism. London/New York: Routledge Philosophy Guidebooks, 1997.

McCloskey, H. J. John Stuart Mill: A Critical Study. London and Basingstoke: Macmillan and Co Ltd., 1971.

Mill, J.S. Utilitarismo. Trad: Pedro Galvão. Porto, Portugal: Porto Editora, 2005.

______. Collected Works. 33 vols, Ed. J. Robson. Toronto, 1961-91.

Mulgan, T. Utilitarismo. Trad: Fábio Creder. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Miller, D. E. Mill’s Theory of Sanctions. In: The Blackwell guide to Mill’s Utilitarianism. Ed: West, H. London: Blackwell Publishing Lta., 2006.

Rosen, F. Classical Utilitarianism from Hume to Mill. London/New York: Routledge (Taylor and Francis group), 2003.

Ryan, A. The Philosophy of John Stuart Mill. Londres: Routledge, 1974.

Scarre, G. Utilitarianism. London/New York: Routledge (Taylor and Francis group), 1996.

Skorupski, J. (ed.) Cambridge Companion to Mill. Cambridge, 1997

______. John Stuart Mill. London: Routledge, 1991.

______. Why read Mill today? Londres and New York: Routledge, 2006.

Stafford, W. John Stuart Mill. New York: St. Martin’s Press, Inc., 1998.

West, H. A Introduction to Mill’s Utilitarian Ethics. London: Cambridge University Press, 2004.

Publicado
2020-05-19
Seção
Artigos