A EDUCAÇÃO RACIAL E DE GÊNERO NA SALA DE AULA: A IMAGEM COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Resumo

Este texto visa esclarecer sobre a educação étnico-racial e de gênero na sala de aula, por meio de recursos imagéticos, para combater o preconceito racial e de gênero no referido espaço. Para isso, foi realizado um levantamento bibliográfico e documental, qualitativo e participante a respeito da política pública que rege a educação étnico-racial. O aporte teórico e metodológico está ancorado em Carlos (2012), Felinto (2012), Cantarino (2007), Freire (1996), Carvalho, Andrade e Junqueira (2009), Silva (2011), Botelho e Marques (2015), Lakatos (2003) e Minayo (2009).  A metodologia se deu com análises bibliográficas, de documentos da legislação e pela observação participante. O resultado da pesquisa se encontra na transição do processo de conscientização do preconceito e discriminação dos (as) estudantes perante a população negra para a valorização desta.

Palavras-chaves: Educação étnico-racial; Gênero; Sala de aula.

Biografia do Autor

Antonis Pereira da Silva, Rede de Ensino Municipal de Natal. Escola Maria Madalena Xavier de Andrade.
Mestrando em Educação na linha de pesquisa da Educação Popular; Especialista em Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça; Graduado no curso de Licenciatura plena em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Foi bolsista do Projeto Prolicen/ 2012, intitulado "O discurso do Fórum EJA sobre a formação do educador de Jovens e Adultos" e foi bolsista do projeto PIBIC/ 2013 intitulado "EDUCAÇÃO POPULAR E VISUALIDADE: O Uso da Imagem Visual na Proposta Pedagógica Freireana", ambos coordenado pelo Profº. Dr.Erenildo João Carlos. Tem como foco de Estudo: a questão dos Direitos Humanos enfatizando nas relações de Gênero, Sexualidades, etnicorracial, Currículo; Educação Popular e Educação de Jovens e Adultos. Professor da Educação básica do Ensino Fundamental I.

Referências

BOTELHO, Denise; MARQUES, Francineide. Diversidade: raça, gênero desvios e desafios nas escolas. In SILVA, Maria Lúcia da,; MACHADO, Charliton José dos Santos e VASCONCELOS, Larissa Meira de (org). Diálogos sobre gênero, cultura e história. Fortaleza: EdUECE, 2015.

CANTARINO, Carolina. Racismo influência desempenho escolar. Notícias do Brasil. Cienc. Cult. [online]. 2007, vol.59, n.2, pp. 11-11. ISSN 2317-6660.

CARLOS, Erenildo João (Org). Introdução: A imagem como objeto do conhecimento. In: Educação e visualidade: a imagem como objeto do conhecimento. João Pessoa: Ed. UFPB, 2012.

__________, O uso da imagem como estratégia da gestão do conhecimento interdisciplinar. In: Por uma pedagogia crítica da visualidade. João Pessoa: Ed. universitária da UFPB, 2010.

CARVALHO, Maria Eulina P. de; ANDRADE, Fernado C. B. de. JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Equidade de gênero e Diversidade Sexual na escola: por uma prática pedagógica inclusiva. João Pessoa: Editora da UFPB, 2009, p.19-30.

CRENSHAW. Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, Santa Catarina, v.10, n. 1, p. 171-188, jan./jun.2002

FELINTO, Renata. A representação do negro nas artes plásticas brasileiras: diálogos e identidades. In: Culturas africanas e afro-brasileiras em sala de aula: saberes dos professores fazeres para os alunos: religiosidade, musicalidade, identidade e artes visuais. Belo horizonte, ed. Fino traço, 2012.

DIRIGIDA, Folha. Em estudo com alunos, 37% disseram acreditar que há racismo na escola. Disponível em: < http://www.folhadirigida.com.br/fd/Satellite/educacao/reportagens-especiais/Em-estudo-com-alunos-37%25-disseram-acreditar-que-ha-racismo-na-escola-2000038872776-1400002102372/ > Acessado em junho de 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, ed. Paz e Terra, 1996.

GUIMARÃES, Alexandre. Visualidade e o caráter mutante da escadaria Selaron. Art uerj III Semana de Pesquisa em Artes, 2009. Disponível em: http://www.ppgartes.uerj.br/spa/spa3/anais/alexandre_guimaraes_37_50.pdf Acessado em Junho de 2016.

Heilborn, Maria Luiza; Araújo, Leila. Barreto, Andréia (org). Gestão de políticas públicas em gênero e raça – módulo III. Rio de janeiro: CEPESC; Brasília: secretaria de políticas para as mulheres, 2010.

LAKATOS, E. M; MARCONI, A. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. - São Paulo : Atlas 2003.

MC SOFFIA. Menina pretinha. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=cbOG2HS1WKo>. Acesso em: 17 de fevereiro de 2016.

MARIANO, Silvana aparecida; MACEDO, Márcia dos santos. Dossiê - Desigualdades e Interseccionalidades. Mediações, Londrina, v. 20 n. 2, p. 11-26, jul./dez. 2015.

MINAYO, M. C. S. (Org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Traduzido pela SOS: corpo e cidadania, Recife.

SILVA, Tomaz Tadeu da. As relações de gênero e a pedagogia feminista. In: Documentos de Identidades: uma introdução às teorias do currículo. 3 ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2011.

Publicado
2019-06-05
Como Citar
Silva, A. P. da. (2019). A EDUCAÇÃO RACIAL E DE GÊNERO NA SALA DE AULA: A IMAGEM COMO RECURSO PEDAGÓGICO. Revista Discurso & Imagem Visual Em Educação, 3(2), 62-76. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/rdive/article/view/43804