Contribuições ao Exposure Draft ED/2013/9 – IFRS for SMEs: Propostas de Mudanças para Pequenas e Médias Empresas

  • Marco Túlio José de Barros Ribeiro Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Aline Rúbia Ferraz de Freitas Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Luiz Carlos Marques dos Anjos Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Umbelina Cravo Teixeira Lagioia Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Palavras-chave: Pequenas e Médias Empresas, IFRS for SMEs, Exposure Draft

Resumo

O objetivo desta pesquisa consistiu em analisar o posicionamento dos grupos econômicos respondentes tendo como base as cartas-comentários do EXPOSURE DRAFT ED/2013/9 – IFRS for SMEs (ED) enviadas ao IASB. Assim, pelo fato do importante papel das Pequenas e Médias Empresas (PMEs) no contexto mundial, este artigo busca uma melhor compreensão com relação às propostas de alteração do board para as IFRS for SMEs, com indicativos a um aperfeiçoamento quanto à interação de normas contábeis e qualidade da informação. Realizou-se uma análise de conteúdo das opiniões remetidas ao IASB e, de forma complementar, após o conhecimento dos posicionamentos dos agentes econômicos, a utilização do teste não-paramétrico de Kruskal-Wallis (K-W) para verificar se as divergências das opiniões entre as questões são estatisticamente significativas, ou seja, se as divergências entre as questões significam diferenças efetivas ou se representam apenas variações casuais. O panorama das opiniões foi predominantemente positivo e indiferente, com todas as médias situadas entre as zonas de concordância e indiferença, demonstrando que, apesar dos argumentos contrários, há certo alinhamento frente ao que o IASB propõe em alterar para as IFRS for SMEs, como, por exemplo, sobre o uso do termo “capacidade fiduciária” bem como o reconhecimento e mensuração de impostos diferidos. Além do mais, os resultados da pesquisa sugerem, por outro lado, que não há concordância quanto ao ciclo de três anos para manutenção do IFRS for SMEs, pois algumas opiniões enfatizam que um ciclo mais longo seria melhor para aprimorar a estabilidade das normas e dar às equipes contábeis tempo suficiente para se familiarizarem com as revisões; e, a ideia da retroatividade de aplicação das alterações propostas retrata que o estabelecimento das normas contábeis é um processo político, pois os agentes econômicos buscam aos seus próprios interesses.

Biografia do Autor

Marco Túlio José de Barros Ribeiro, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Contador, Bacharel em Ciências Contábeis pela Faculdade Salesiana do Nordeste (FASNE). Licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Especialista em Matemática Financeira e Estatística pela Universidade Candido Mendes (UCAM/RJ). Mestre em Ciências Contábeis pela UFPE. Professor Substituto do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais, vinculado ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UFPE (DCCA/CCSA). Já desempenhei a função de técnico administrativo em Aquisições e Licitações da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco (FADE/UFPE) e de Tutor do Curso de Graduação em Ciências Contábeis a distância da UFPE. Tenho interesse em Educação, Administração Pública e Modelagem Estatística, com ênfase em Tratamento e Análise de Dados, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Contábil; Orçamento e Finanças Públicas; Controladoria e Contabilidade Governamental; Probabilidade e Estatística Aplicadas. 
Aline Rúbia Ferraz de Freitas, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Alagoas (2005), assim como os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu em Auditoria e Controladoria e em Finanças Empresariais pela Faculdade Figueiredo Costa (2009). Atualmente fazendo o Curso de Pós Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) - Mestrado Acadêmico.
Luiz Carlos Marques dos Anjos, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Professor Assistente da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Alagoas (2001), especialista em Auditoria e Perícia Contábil pela Faculdade Integrada Tiradentes (2007), Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e doutorando em Contabilidade pelo Programa Multiinsitucional e Inter-Regional de Ciências Contábeis (UNB / UFPB / UFRN). Seu foco de estudo é o uso da informação contábil para tomada de decisão. Já atuou profissionalmente nas áreas de contabilidade, administração financeira e planejamento estratégico. Suas áreas de interesse como pesquisador incluem: Custos, Controladoria, Contabilidade Gerencial, Medição de Desempenho Organizacional, Indicadores de Desempenho Gerencial, Micro e Pequenas Empresas.
Umbelina Cravo Teixeira Lagioia, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Possui graduação em Ciências Contábeis, Especialização em Administração Financeira pela Universidade de Pernambuco, Especialização em Contabilidade e Controladoria pela Universidade Federal de Pernambuco, Especialização em Normas Internacionais de Contabilidade e Normas Internacionais de Auditoria pela FIPECAFI, Mestrado em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco e doutorado em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora Adjunta do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Pernambuco. Ministra as disciplinas de Contabilidade Societária e Mercado de Capitais na Graduação. Ministra as disciplinas de Teoria da Contabilidade, Contabilidade para Usuários Externos e Mercado de Capitais no Mestrado em Ciências Contábeis. Pesquisadora pelo CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa Convergência Contábil e Mercado de Capitais. Autora da Série de Livros Pronunciamentos Contábeis na Prática e do Livro Fundamentos do Mercado de Capitais. Co autora de diversos livros publicados na área contábil. Instrutora da Escola de Administração Fazendária (ESAF), da Escola de Contas (TCE-PE)do Conselho Regional de Contabilidade em Pernambuco (CRC-PE) e do Instituto Brasileiro de Auditores (IBRACON).
Publicado
2016-04-27
Como Citar
Ribeiro, M. T. J. de B., Freitas, A. R. F. de, Anjos, L. C. M. dos, & Lagioia, U. C. T. (2016). Contribuições ao Exposure Draft ED/2013/9 – IFRS for SMEs: Propostas de Mudanças para Pequenas e Médias Empresas. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 4(1), 33-49. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/recfin/article/view/25152
Seção
Seção Nacional

Artigos mais lidos do (s) mesmo (s) autor (es)