Influência do Excesso de Confiança e Otimismo no Endividamento de Organizações Cinquentenárias e não Cinquentenárias Brasileiras

  • Thiago Bruno de Jesus Silva Universidade Regional de Blumenau - FURB
  • Vanessa Edy Dagnoni Mondini Universidade Regional de Blumenau - FURB
  • Tarcísio Pedro da Silva Universidade Regional de Blumenau - FURB
  • Luís Antonio Lay Universidade do Contestado - UnC; Universidade Regional de Blumenau - FURB
Palavras-chave: Excesso de confiança, Otimismo, Endividamento, Organizações cinquentenárias.

Resumo

Objetivo: O objetivo do estudo é de analisar a influência do excesso de confiança e otimismo dos gestores no endividamento de empresas cinquentenárias e não cinquentenárias brasileiras.Fundamento: A proposta da teoria comportamental é explicar a existência de possíveis vieses no comportamento dos agentes que podem levá-los a conduzir a empresa a novos caminhos, tradicionalmente, a teoria financeira se pauta em modelos voltados para a racionalidade dos gestores. A teoria comportamental se propõe a explicar a possibilidade dos vieses comportamentais dos gestores, levarem-nos a tomar decisões menos pautadas em aspectos racionais, interferindo, desta forma, na estruturação do capital das empresasMétodo: Desta forma, adotou-se uma pesquisa descritiva, com análise documental de dados provenientes da base Thomson®, com uma abordagem quantitativa e os dados foram processados por meio da técnica estatística de Análise em Painel. A população da pesquisa foi composta por 90 organizações (52 com menos de 50 anos e 38 com mais de cinquenta anos), listadas no novo mercado,  níveis 1 e 2 da BovespaResultados: Os resultados apontaram que as empresas não cinquentenárias possuem maior volume de ações em tesouraria, bem como maior alavancagem contábil e de mercado, demonstrando que os gestores de firmas não cinquentenárias apresentam maior excesso de confiança se comparados aos gestores das organizações cinquentenárias.Contribuição: Contribuindo para evidenciar que as finanças comportamentais podem influenciar o desempenho das firmas, bem como avaliar se a longevidade empresarial pode influenciar os administradores a serem mais suscetíveis aos vieses da confiança excessiva e do otimismo. Palavras-chave: Excesso de confiança. Otimismo. Endividamento. Organizações cinquentenárias.

Biografia do Autor

Thiago Bruno de Jesus Silva, Universidade Regional de Blumenau - FURB
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau - FURB.
Vanessa Edy Dagnoni Mondini, Universidade Regional de Blumenau - FURB
Doutoranda em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Tarcísio Pedro da Silva, Universidade Regional de Blumenau - FURB
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau - FURBProfessor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau – FURB
Luís Antonio Lay, Universidade do Contestado - UnC; Universidade Regional de Blumenau - FURB
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau - FURB.
Publicado
2017-04-28
Seção
Seção Nacional