TRADIÇÃO ORAL: O SILÊNCIO DA CAMARINHA, A FALA DO INCONSCIENTE

Autores

  • Yuri Tavares
  • Maria Elise Rivas

Resumo

O objetivo deste trabalho é a análise de uma camarinha, ritual afeto ao candomblé e a umbanda omolocô em seu sistema de transmissão que anula a fala como meio de comunicação e introduz outros meios sensíveis, concretos, como forma de atuar no inconsciente do filho de santo ou adepto. A linguagem inarticulada, que se abstém do som humano, assume outras dimensões da comunicação mítica, ritual e do próprio ethos que se traduz nos arquétipos dos Orixás, no êxtase do ritual - a saída de santo. Usaremos como autores de referência Francisco Rivas Neto e José Flávio Pessoa de Barros como suporte teórico para os rituais de camarinha e Gerd Theissen para analise do tripé: rito, mito e ethos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-22

Como Citar

TAVARES, Y.; RIVAS, M. E. TRADIÇÃO ORAL: O SILÊNCIO DA CAMARINHA, A FALA DO INCONSCIENTE. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 72–83, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/religare/article/view/15808. Acesso em: 20 jul. 2024.