Separação Estado-religiões e diferenciação das esferas sociais como secularização? Correlacionando os índices de diferenciação funcional e religiosidade na Europa

Autores

  • Jorge Botelho Moniz (Universidade Nova de Lisboa)

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1982-6605.2019v16n1.41216

Resumo

Este artigo procura responder a dois argumentos fundamentais: a ideia de que foi atingido um impasse no debate acerca da secularização e de que são necessárias novas metodologias e estratégias teóricas e empíricas para se entenderem os efeitos da modernização na religião. Deste modo, inspirando-nos nas asserções de uma das teorias mais relevantes e sistemáticas da secularização – a diferenciação funcional –, sugerimos a formação de um índice de diferenciação funcional que seja correlacionável com uma medida de religiosidade individual. Conclui-se que, para o grupo de países europeus selecionado e para o período temporal estudado (1999-2015), a teoria da secularização, que afirma que as sociedades mais diferenciadas funcionalmente são menos religiosas, não tem validade empírica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-28

Como Citar

(UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA), J. B. M. Separação Estado-religiões e diferenciação das esferas sociais como secularização? Correlacionando os índices de diferenciação funcional e religiosidade na Europa. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, [S. l.], v. 16, n. 1, p. p.370–401, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.1982-6605.2019v16n1.41216. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/religare/article/view/41216. Acesso em: 29 maio. 2024.