Religião e política: Três possíveis relações

  • Giuseppe Tosi UFPB

Resumo

O presente ensaio analisa três possíveis relações entre religião e política: i) a religião como poderoso instrumento de governo (instrumentum regni), em dois sentidos: a religião que utiliza a política e vice-versa, uma política que utiliza a religião; ii) a religião “contra” a política, que é incompatível e crítica da política, e se propõe a transformar radicalmente a política; iii) a política como religião, a política que cria uma religião própria, em duas possíveis modalidades: uma religião civil de tipo democrático, uma religião política de tipo autoritário ou totalitário. Para a definição dessas relações recorremos a autores clássicos como Maquiavel e Rousseau e contemporâneos. No fim do ensaio, procuramos relacionar essas alternativas com a situação política brasileira, analisando sobretudo o fenômeno do fundamentalismo religioso como uma nova forma de fazer da religião um instrumentum regni perigosa para a democracia e os direitos humanos.
Publicado
2019-01-20