Identidade, religião e o passado escravocrata: violências, estigmas e a descontrução cultural e identitária

Autores

  • Camila Mariana Costa Fonseca Faculdade Unida de Vitória - FUV
  • Marlene Ferreira da Silva
  • Waldeir Eustáquio dos Santos Pontificia Universidade Católica de Minas Gerais / PUC-Minas

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1982-6605.2021v18n1.59137

Resumo

A afirmação da identidade negra brasileira se dá de diferentes formas, passando também pelo aspecto religioso. Africanos escravizados no Brasil tiveram suas crenças subjugadas e atacadas desde os primeiros grupos que chegaram neste território. O presente artigo trata de descrever os diferentes recursos encontrados pelos negros aqui desembarcados, para que pudessem em sua diversidade cultural e religiosa, manter seus cultos. O racismo religioso ainda se mantém presente na realidade brasileira. O presente artigo vem propor reflexão em torno de um processo de abolição sem planejamento, ocasionando sequelas na construção da identidade do Negro brasileiro, afirmação embasada por Abdias Nascimento e busca desmistificar o conceito de democracia racial tão reverenciado pela sociedade brasileira, mas que na prática não serviu com processo de valorização do Negro e sim, ao contrário, teve um viés ainda mais discriminatório. O artigo também busca analisar nuances que podem ter contribuição com a construção da identidade do brasileiro trazendo como embasamento teorias de Antônio Gramsci. O preconceito em torno das religiões de matriz africana, também conhecido na atualidade com racismo religioso por tratar-se de religiões que tem sua origem em uma população negra originária do continente africano é a provocação apresentada no presente artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Waldeir Eustáquio dos Santos, Pontificia Universidade Católica de Minas Gerais / PUC-Minas

Doutor em Relações Internacionais pela PUC MINAS, conclusão 2017. Doutorado Sanduíche realizado entre Fevereiro/2015 e Novembro/2015, em Ancara - Turquia (Ankara University). Mestre em Relações Internacionais (2013) - PUC/MG. Pós-graduado em Estudos Diplomáticos pelo CEDIN/Milton Campos - 2010. Possui graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2006). Diretor Suplente do CRESS/MG Gestão 2011 a 2014 - Foi Coordenador da COFI; Coordenador Adjunto da COMAGO; Coordernador Adjunto Comissão de Registro. Foi Professor do Curso Serviço Social da Faculdade UNA de Betim (2013/2015) e coordenador do Curso Serviço Social da Faculdade UNA de Betim (2014/2015). É membro pesquisador do Grupo de Pesquisa Oriente Médio e Magreb (GEOMM) e do Grupo de Pesquisa Potências Médias (GPPM) ambos vinculados ao Departamento de Relações Internacionais da PUC MINAS. Membro pesquisador do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão Direitos Sociais e Migração, vinculado ao Departamento de Serviço Social da PUCMG. Professor IEC/PUC MINAS - Disciplina Direitos Humanos e Seguridade Social (2018/2019); Atualmente é professor do Curso de Serviço Social do Centro Universitário Unihorizontes. É professor do Departamento de Serviço Social da PUC MINAS.

Downloads

Publicado

2022-02-11

Como Citar

FONSECA, C. M. C.; MARLENE FERREIRA DA SILVA; WALDEIR EUSTÁQUIO DOS SANTOS. Identidade, religião e o passado escravocrata: violências, estigmas e a descontrução cultural e identitária. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 137–164, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.1982-6605.2021v18n1.59137. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/religare/article/view/59137. Acesso em: 29 fev. 2024.