“Você sabe o que é macumba”? A popularidade das flores à Iemanjá e a ocupação do espaço público pela umbanda omolocô.

Autores

Resumo

O presente trabalho analisa as controvérsias públicas envolvendo a ocupação da religiões afro-brasileiras no espaço público, por meio da popularidade das oferendas a Iemanjá e demais rituais, e a partir da figura de Tancredo da Silva Pinto, líder religioso da umbanda omolocô.  Linha de umbanda que propunha uma aproximação da religião com um ideal de africanidade. Pesquisamos em jornais, revistas, analisando os diferentes discursos propostos pelos atores sociais das religiões afro-brasileiras e as estratégias que os mesmos utilizaram para se fazerem presentes no espaço público.   O conceito de controvérsias públicas, mobilizado por Montero (2012,2015), se mostrou frutífero em nossa análise. Acreditamos que a ocupação das religiões afro-brasileiras no espaço público foi importante no processo de construção de legitimidade destas religiões.

Palavras chave: festa de Iemanjá; Tancredo da Silva; umbanda omolocô; história da umbanda.

O presente trabalho analisa as controvérsias públicas envolvendo a ocupação da religiões afro-brasileiras no espaço público, por meio da popularidade das oferendas a Iemanjá e demais rituais, e a partir da figura de Tancredo da Silva Pinto, líder religioso da umbanda omolocô.  Linha de umbanda que propunha uma aproximação da religião com um ideal de africanidade. Pesquisamos em jornais, revistas, analisando os diferentes discursos propostos pelos atores sociais das religiões afro-brasileiras e as estratégias que os mesmos utilizaram para se fazerem presentes no espaço público.   O conceito de controvérsias públicas, mobilizado por Montero (2012,2015), se mostrou frutífero em nossa análise. Acreditamos que a ocupação das religiões afro-brasileiras no espaço público foi importante no processo de construção de legitimidade destas religiões.

Palavras chave: festa de Iemanjá; Tancredo da Silva; umbanda omolocô; história da umbanda. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Bahia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora titular de Sociologia e Antropologia e procientista do Programa de Pós Graduação e História Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Possui graduação em ciências sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), mestrado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional /PPGAS (2000). É coordenadora do Laboratório interdisciplinar das religiões e movimentos migratórios (Lärm) na UERJ e pesquisadora associada ao Núcleo Interdisciplinar de Estudos Migratórios (NIEM) do IPPUR/UFRJ, coordenado pelo Prof Dr Helion Povoa Neto. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em nos seguintes temas: identidade étnica, minorias étnicas e estado nacional, migrações e religiosidades e transnacionalização religiosa. Realizou entre março de 2011 e março de 2012 estágio pós doutoral no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa sob a supervisão da Prof Dr Cristiana Bastos, desenvolvendo pesquisa sobre o tema migrações e a expansão das religiosidades afro brasileiras na Alemanha e em Portugal.

 

Antropóloga e Professora Titular do departamento de ciências Humanas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.  E-mail: joana.bahia@gmail.com

Farlen Nogueira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutorando em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da UERJ-FFP. Mestre em História pelo Programa de Pós Graduação em História Social da UERJ-FFP. Graduado em Licenciatura em História pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisador associado ao Laboratório interdisciplinar das religiões e movimentos migratórios (Lärm) na UERJ, coordenado pela professora Joana Bahia. Tem experiência na área de História, com ênfase nos seguintes temas: religiões e religiosidades, identidade étnica e história oral. Foi bolsista de iniciação à docência (PIBID) pela UERJ, adquirindo experiências com ensino de história. Durante a graduação, foi bolsista de iniciação cientifica pela UERJ, com experiências em pesquisas científicas e trabalhos de campo relacionados à antropologia e historiografia em âmbito nacional e internacional

 

Mestre em História pelo Programa Pós-Graduação em História Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.Doutorando em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.E-mail: farlennogueira@gmail.com

Downloads

Publicado

2022-02-11

Como Citar

D´ARC DO VALLE BAHIA, J. .; FARLEN DE JESUS NOGUEIRA, F. “Você sabe o que é macumba”? A popularidade das flores à Iemanjá e a ocupação do espaço público pela umbanda omolocô. . Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 22–47, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/religare/article/view/59595. Acesso em: 29 fev. 2024.