A importância da mitologia dos orixás para a construção do imaginário umbandista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1982-6605.2022v19n1.62312

Resumo

Este artigo tem como objetivo a análise da mitologia dos orixás na criação do imaginário umbandista, seus arquétipos, signos e símbolos. Os orixás são deidades do panteão Iorubá cultuados nas religiões africanas e afro-diaspóricas, como a Umbanda e o Candomblé keto-nagô. A análise da mitologia dos orixás foi realizada por pesquisa documental a partir de um universo de 301 mitos de 32 orixás privilegiou para isso a análise de mitos referentes a nove Orixás cultuados na Umbanda: Ogum, Oxóssi, Nanã, Obaluaiê, Xangô, Iansã, Oxum, Iemanjá e Oxalá. A interpretação simbólica dos mitos permite a compreensão dos arquétipos e significados presentes neles. A mitologia possui, então, um poder simbólico na criação do imaginário social, além de ser importante para a compreensão do mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giulia Cerqueira Mares Esposito, Universidade Anhembi Morumbi

Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestranda em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi. 

Sênia Regina Bastos, Universidade Anhembi Morumbi

Sênia Regina Bastos, Bacharel, Mestre e Doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora do programa de Pós Graduação Mestrado e Doutorado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi. Áreas de pesquisa: Hospitalidade, turismo, patrimônio, imigração. 

Downloads

Publicado

2023-05-18

Como Citar

CERQUEIRA MARES ESPOSITO, G.; BASTOS, S. R. A importância da mitologia dos orixás para a construção do imaginário umbandista. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 7–22, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.1982-6605.2022v19n1.62312. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/religare/article/view/62312. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Nacionais