MANEJO DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS CONTAMINADOS POR METAIS PESADOS

  • Alírio Coromoto Daboin Maldonado
  • Beno Wendling

Resumo

A contaminação por metais pesados é atualmente um dos maiores problemas ambientais, principalmente em áreas onde há influência das atividades humanas. Os metais pesados são de ocorrência natural, nos ecossistemas aquáticos são provenientes da solubilização das rochas e sua lixiviação no solo. Alguns metais são necessários para a sobrevivência de grande variedade de espécies animais e vegetais, outros não, porque presentes em altas concentrações podem vir a causar desequilíbrios na natureza. Às atividades antrópicas é atribuída grande parte dos problemas causados por metais pesados em ambientes aquáticos. Esta revisão visa apresentar alternativas para evitar a contaminação dos ecossistemas aquáticos ou a remoção destes contaminantes. Neste sentido, métodos preventivos são necessários para evitar medidas de remediação de custo alto, pois são realizadas quando o passivo ambiental já ocorreu. Entre os métodos preventivos enquadram-se os tratamentos de efluentes industriais, tratamento das águas pluviais, tratamento de resíduos sólidos, tratamento de esgotos domésticos, manejo adequado de agroquímicos e manejo adequado do solo na agricultura. Já a remediação ou recuperação pode ser realizada por processos físicos, químicos e biológicos, que podem ser utilizados para remover, reter, mobilizar ou decompor determinados contaminantes presentes no sistema aquático. Fisicamente, a remoção por plantas e de sedimentos tem sido a mais adotada. Recursos químicos são pouco usados em ambientes aquáticos, mediante a não especificidade da maioria dos agentes conhecidos. E por fim, temos a remediação biológica ou biorremediação, que utiliza microorganismos ou espécies vegetais (fitoremediação) para mitigar problemas de contaminação de metais pesados.
Publicado
2009-07-09
Seção
Artigo Científico