ADSORÇÃO E DESSORÇÃO DE METAIS NO SOLO E COEFICIENTES DE ISOTERMAS DE FREUNDLICH E LANGMUIR

  • Isabel Cristina Vinhal-Freitas
  • Alírio Coromoto Daboin Maldonado
  • Cleyton Batista Alvarenga
  • Reginaldo Camargo
  • Beno Wendling

Resumo

O conhecimento da ocorrência, reação e movimento no solo é de muita importância para se analisar o comportamento dos minerais no sistema solo-planta. As reações têm muito a ver com a solubilidade dos minerais que os contêm e com a existência de material orgânico e inorgânico, cujos radicais e superfícies propiciam o meio adequado para o controle da disponibilidade e movimentação desses elementos na solução do solo. A maior ou menor disponibilidade dos metais é determinada pelos atributos físicos, químicos e mineralógicos dos solos como: teor e tipo de argila, capacidade de troca catiônica, teor de matéria orgânica, pH, entre outros. Estes atributos influenciam as reações de adsorção/dessorção, precipitação/dissolução, complexação e oxiredução que, em conjunto, governam a formas de ocorrência dos elementos no solo. Como cada solo possui uma capacidade adsortiva própria, o conhecimento desta capacidade oferecerá subsídios para a previsão de fitotoxicidade e da possível contaminação do lençol freático uma vez que, se essa capacidade for ultrapassada, o metal ficará potencialmente disponível para ser lixiviado. Entre os diversos modelos que descrevem a adsorção dos elementos no solo, os mais citados na literatura são aqueles propostos por Langmuir e por Freundlich. Esses modelos são facilmente aplicáveis para adsorção de quaisquer íons pelo solo e se tem mostrado adequados para estudos de adsorção de alguns metais em solos brasileiros.
Publicado
2010-11-07
Seção
Artigo Científico