MEDIDAS DE EMERGÊNCIA E ÍNDICE DE SINCRONIA EM SEMENTES DE SOJA OSMOCONDICIONADAS COM POLIETILENOGLICOL

  • Isabel Cristina Vinhal-Freitas
  • Ricardo Franco Tostes
  • Fernanda Nayara Soares Souza
  • Jurandir Pereira Segundo
  • Flávia Rezende Reis

Resumo

Para avaliar os efeitos do estresse hídrico na emergência e vigor de sementes de soja da cv Monsoy 8001 RR, foi montado um ensaio com polietilenoglicol (PEG-6000). O experimento foi realizado condicionando as sementes de soja em PEG 6000 nos potenciais osmóticos -0,1, - 0,2, -0,4 e -0,8 MPa, por 24 horas a 25ºC. Para os parâmetros correspondentes ao desenvolvimento das plântulas, as sementes foram distribuídas eqüidistantes em bandejas plásticas e semeadas em substrato areia. Cada tratamento constituiu-se de quatro repetições de 50 sementes. As avaliações foram realizadas a cada vinte e quatro horas, adotando-se como critério de emergência a exposição de qualquer parte da plântula na superfície do substrato. Calculou-se o tempo inicial (Ti), final (Tf) e médio (Tm) de emergência; o percentual de emergência (E); a velocidade média de emergência (Vm) e o coeficiente de variação do tempo (CVt). Medidas relativas à sincronia da emergência foram calculadas pela incerteza (I) e pelo índice de sincronia (Z). O condicionamento osmótico de sementes de soja com PEG-6000 nos potenciais -0,1 e -0,2 MPa proporcionou melhores resultados em relação à porcentagem e velocidade de emergência e menor coeficiente de variação no tempo em relação à testemunha, e consequentemente maior sincronização de emergência. Além disso, obtiveram-se nesses tratamentos os maiores valores de comprimento e massa seca da parte aérea das plântulas.
Publicado
2011-07-24
Seção
Artigo Científico