Sociodiversidades indígenas: desafios do tempo presente para o ensino em História

Autores

  • Edson Hely Silva Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.60382

Palavras-chave:

Indígenas, Sociodiversidades, Ensino, Questionamentos, História

Resumo

A partir dos seus protagonismos os indígenas afirmam sociodiversidades, as diversas formas do ser indígena com diferentes expressões socioculturais, reivindicando o reconhecimento de direitos, provocando questionamentos acerca do lugar dos indígenas nas narrativas sobre a História do Brasil, nas discussões sobre as relações étnico-raciais na Educação, nas práticas docentes e no ensino de História. Estudar criticamente sobre os povos indígenas é reconhecê-los como parte da nossa sociedade, ocupando diversos espaços, produzindo conhecimentos, questionando a História do Brasil, se afirmando como sujeitos históricos e contemporâneos de direitos. E, sobretudo, repensar as imagens e discursos genéricos, superficiais, preconceituosos nos conteúdos e práticas pedagógicas sobre os chamados “índios”, e assim superar os muitos estereótipos, equívocos, preconceitos. É (re)conhecer direitos fixados na Constituição Federal aprovado em 1988 e em vigor, como também ratificados na LDB e na legislação posterior, compreendendo os significados que representam as sociodiversidades indígenas em nosso país. São desafios do tempo presente para o ensino em História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Hely Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Professor Titular de História da UFPE, possui Pós-Doutorado em História na UFRJ (2013). Pós-Doutorado na UFC 2020). Doutor em História Social pela UNICAMP (2008) Mestre em História pela UFPE (1995). Professor efetivo no Centro de Educação/Col. de Aplicação da UFPE; Lecionando no Programa de Pós-Graduação em História/UFCG (Campina Grande/PB), no PROFHISTORIA-Rede de Mestrado Profissional em Ensino de História/UFPE e no Programa de Pós-Graduação em História na UFRPE.

Referências

Fontes

BRASIL. Diretrizes Operacionais para a implementação da história e das culturas dos povos indígenas na Educação Básica, em decorrência da Lei nº 11.645/2008. Parecer CNE/CEB nº 14/2015. Brasília/DF, D.O.U. de 18/4/2016, Seção 1, p. 43.

BRASIL. Lei n. 11.645/2008, de 10 de março de 2008. Sobre a obrigatoriedade do ensino da temática “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena” na Educação Básica. D.O.U, Brasília/DF, 11 mar. 2008.

Referências

BANIWA, Gersem. Educação Escolar Indígena no Século XXI: encantos e desencantos. Rio de Janeiro: Mórula, Laced, 2019.

GIL, Carmem Zeli de Vargas; MESQUITA, Ilka Miglio de. Ensino de História com questões sensíveis. Pensar a Educação em Revista, Florianópolis/Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 1-18, jun.-ago. 2020.

LAMAS, Fernando Gaudereto; VICENTE, Gabriel Braga; MAYRINK, Natasha. Os indígenas nos livros didáticos: uma abordagem crítica. Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, Recife, v. 2, n. 1, p. 124-139, 2016.

LUCIANO, Gersem dos Santos (Gersem Baniwa). Educação para manejo do mundo: entre a escola ideal e a escola real. Rio de Janeiro: Contra Capa; Laced, 2013.

NASCIMENTO, Rita Gomes do. Ensino da história e cultura indígenas: uma questão de direito. In: SILVA, Edson; SILVA, Maria da Penha da. (orgs.). Ensino da temática indígena e educação para as relações étnico-raciais. Maceió, AL: Olyver, 2021, p. 13-31.

NAZARENO, Elias; ARAÚJO, Ordália Cristina Gonçalves. História e diversidade cultural indígena na Base Nacional Comum Curricular (2015-2017). Revista Temporis, Goiás, v.18, n.1, p. 35-60, jan./jun. 2018.

NICOLINI, Cristiano; MEDEIROS, Kênia Érica Gusmão. Aprendizagem histórica em tempos de pandemia. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 34, n. 73, p. 281-298, mai.-ago. 2021.

NUNES, Eduardo Soares. Aldeias urbanas ou cidades indígenas?: reflexões sobre índios e cidades. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 4, n. 1, p. 9-30, jan./jun. 2010.

OLIVEIRA, João Pacheco de. O nascimento do Brasil e outros ensaios: “pacificação”, regime tutelar e formação de alteridades. Rio de Janeiro: Contracapa, 2016.

OLIVEIRA, João Pacheco de (org.). A viagem de volta: etnicidade, política e reelaboração cultural no Nordeste indígena. 2. ed. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004.

SILVA, Edson. Os povos indígenas e o ensino: reflexões e questionamentos às práticas pedagógicas. Tópicos Educacionais, Recife, v. 23, n. 2, p. 89-105, jul./dez. 2017.

SILVA, Edson; SILVA, Maria da Penha da. “Já não se vê índios como antigamente”: a abordagem da temática indígena na escola em discussão a partir da Lei 11.645/2008. In: SOUZA, A. C. B. de; OLIVEIRA. A. de S.; LIMA, M. V. de (orgs.). Educação para as relações étnico-raciais: identidades, etnicidades e alteridades. João Pessoa/PB: CCTA/UFPB, 2016, p. 253-285.

SILVA, Maria da Penha da. Educação intercultural: a presença indígena nas escolas da cidade e a Lei nº 11.645/2008. In SILVA, Edson; SILVA, Maria da Penha da (orgs.). A temática indígena na sala de aula: reflexões para o ensino a partir da Lei 11.645/2008. 3. ed. Recife: Ed. UFPE, 2020a, p. 52-76.

SILVA, Edson; SILVA, Maria da Penha. A Lei nº 11.645/2008 e os necessários diálogos entre História, Culturas e Artes indígenas na Educação Infantil. Cadernos do Aplicação, Porto Alegre, v. 33, p. 1-19, 2020.

SILVEIRA, Thais Elisa Silva. Identidades (in)visíveis: indígenas em contexto urbano e o ensino de história na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2016. 132f. Dissertação (Mestrado Profissional em Rede Nacional PROFHISTÓRIA). Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Faculdade de Formação de Professores).

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

SILVA, E. H. Sociodiversidades indígenas: desafios do tempo presente para o ensino em História. Saeculum, [S. l.], v. 26, n. 45 (jul./dez.), p. 203–215, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n45.60382. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/60382. Acesso em: 24 jul. 2024.