Apontamentos sobre a geopolítica das mídias

  • Janaina Visibeli Barros Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
  • Gilson Raslan Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG/ Professor

Resumo

Na mundialização do capital, os oligopólios de comunicação assumem papel relevante como agentes discursivos e econômicos, utilizando de suas redes de comunicação e recursos de transmissão de dados. Os bens culturais que a mídia oligopolizada produz transitam, atravessam os territórios, participando da formação de consensos sob a lógica contemporânea da acumulação flexível e da manutenção do status quo.  Por se tratar de uma articulação espacial de poderes simbólicos, econômicos e políticos (WEBER, 1999), este artigo se interessa em discutir a geopolítica das mídias, a partir dos postulados desenvolvidos pelo geógrafo Philippe Boulanger (2014). A interface entre geopolítica das mídias e a comunicação contribui para pesquisas sobre disputas de poder entre agentes nos territórios.

Palavras-chave: Comunicação. Geopolítica. Mídia. Poder.

Biografia do Autor

Janaina Visibeli Barros, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Docente da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) nos cursos de Jornalismo e Comunicação Social. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas das Poéticas do Cotidiano (EPCO).

Gilson Raslan, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG/ Professor

Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade de São Paulo (USP). Docente da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) nos cursos de Jornalismo e Comunicação Social. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas das Poéticas do Cotidiano (EPCO).

Publicado
2020-09-30
Como Citar
VISIBELI BARROS, J.; RASLAN FILHO, G. S. Apontamentos sobre a geopolítica das mídias. Culturas Midiáticas, v. 13, n. 1, p. 3-16, 30 set. 2020.
Seção
Artigos - Mídia e Sociedade