NARRATIVAS DE FORMAÇÃO E PROCESSOS AUTOREFLEXIVOS NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DO POVO XUKURU

  • Jaqueline Barbosa da Silva Universidade Federal de Pernambuco /Campus Caruarú.
  • Lúcia Falcão Barbosa Departamento de História – Universidade Rural Federal de Pernambuco

Resumo

Este artigo visa socializar as práticas educativas do povo Xukuru, evidenciando as narrativas de formação como processos autoreflexivos. Como lentes teóricas, aproximamo-nos da concepção de experiência (LARROSA, 2016) e narrativas biográficas (DELORY-MOMBERGER, 2016; JOSSO, 2004; SOUZA, 2007; SUÁREZ, 2017), enquanto narração de sujeitos que reconhecem a si mesmos e se fazem reconhecer pelos outros. Para análise, elegemos a pluralidade de linguagens advindas das narrativas orais, danças, fotografias e contos que compõem as práticas educativas do povo Xukuru de Ororubá, localizado em Pesqueira/Pernambuco-Brasil. As práticas educativas vivenciadas na comunidade e escolas do povo Xukuru aproximam-nos de narrações que nos convidam a compreender a transcendência dos lugares e formas de acesso ao conhecimento. Palavras-chave: Narrativas Biográficas. Práticas Educativas. Povo Xukuru.
Publicado
2018-05-08
Como Citar
Silva, J. B. da, & Barbosa, L. F. (2018). NARRATIVAS DE FORMAÇÃO E PROCESSOS AUTOREFLEXIVOS NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DO POVO XUKURU. Revista Educare, 2(2), 238-254. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/educare/article/view/39530
Seção
Sociologia da Educação