A Reserva Extrativista do Batoque: o passado e o presente na construção socioambiental do território

Autores

  • Maria da Conceição Mota Rebouças Deprez Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Edson Vicente da Silva Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Maarten Luc Rosa Deprez Universidade Federal do Ceará - UFC

Resumo

O presente texto é fruto das análises construídas no processo de vivência-pesquisa realizado com a comunidade que reside na Reserva Extrativista do Batoque, localizada no município de Aquiraz, no estado do Ceará. O trabalho desenvolvido, principalmente, com os agricultores familiares e pescadores artesanais, pretendeu investigar a relação entre o passado e os fatos que ocorrem no presente na construção socioambiental do território. A produção textual é feita a partir da interpretação das histórias orais relatadas durante a pesquisa. Estes relatos e memórias da população local colaboraram para a compreensão de como a comunidade do Batoque interage e percebe as mudanças ambientais do ambiente que vivência diariamente. Para se estudar intimamente a esta população tradicional foi imprescindível conhecer e interpretar como funcionam os processos de produção e reprodução de conhecimento, como eles percebem as mudanças ambientais e quais as características culturais do povo no território que habitam. O poder de uso e ocupação pela comunidade foi conseguido a partir de uma história de luta guardada na memória coletiva das pessoas. Desta forma, foi importante investigar qual o uso social que este povo dá ao seu território e, historicamente, quais foram às formas de apropriação e defesa dele. Além do contexto social, cultural e ambiental, para se estudar o território do Batoque foi preciso uma abordagem histórica, que trata do contexto específico em que surgiu e foi continuamente reafirmado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Conceição Mota Rebouças Deprez, Universidade Federal do Ceará - UFC

Engenheira de Pesca, mestranda do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio ambiente - PRODEMA da Universidade Federal do Ceará. Grande área: Transdisciplinar Área de concentração: Meio Ambiente e Agrárias.

Edson Vicente da Silva, Universidade Federal do Ceará - UFC

Professor-doutor do Departamento de Geografia da UFC. Vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Geografia/UFC e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA.

Maarten Luc Rosa Deprez, Universidade Federal do Ceará - UFC

Antropólogo, mestrando do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio ambiente - PRODEMA da Universidade Federal do Ceará. Grande área: Transdisciplinar Área de concentração: Meio Ambiente e Agrárias.

Referências

ALBERTI, V. 2005. Manual de História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, PP. 1-49.

AMATO, C.; NEVES, I. S; RUSSO, A. 2009. Livro das moedas do Brasil. São Paulo: s/e, 11ª ed. 432p.

ARARIPE, V. A. S. 2012. Análise do desenvolvimento socioespacial da Praia do Batoque-CE, ante a transformação em Reserva Extrativista. Dissertação (mestrado). Programa de Pós Graduação em Geografia do Instituto de Geociências e Ciências Exatas/UNESP – Rio Claro – São Paulo. Rio Claro : [s.n.],130 f.

ASSIS, L. F. 2006. Residências secundárias: expansão e novos usos no litoral cearense. In: SILVA, J. B; DANTAS, E. W. C; ZANELLA, M. E; MEIRELES, A. J. A (Orgs.). Litoral e Sertão: natureza e sociedade no nordeste brasileiro. Fortaleza: Expressão Gráfica, pp.289-305.

BALÉE, W. L. 1998. Advances in Historical Ecology. Historical Ecology Series, New York: Columbia University Press. 334p.

BARBOSA, A. G. 2011. Turismo e produção do espaço litorâneo: modernização e contradições socioespaciais em João Pessoa – PB. Cadernos do Logepa. v. 6, n. 1, p. 58‐75, jan./jun.

BERKES, F; KISLALIOGLU, M; FOLKE, C; GADGIL, M. 1999. Exploring the basic ecological unit: ecosystem-like concepts in traditional societies. Ecosystems. p. 409-415.

BOFF, L. 1996. Ecologia: Grito da terra, grito dos pobres. Rio de Janeiro: Editora Ática. 2° ed.

BRAID, E. C. M. 2004. Reserva Extrativista do Batoque: contextualização ambiental e proposições de ordenamento ambiental sustentável, Aquiraz-Ceará-Brasil. Tese de doutorado em Planificação Territorial e Desenvolvimento Regional – Faculdade de Geografia e História, Universidade de Brcelona, 290p.

BRANDON, K; REDFORD, K; SANDERSON, S (Eds.). 1998. Parks in Peril. People, Politics, and Protected Areas. Washinton, DC: Island Press for the nature conserbancy. 519p.

CASTRO, E. M. 2012. Diagnóstico socioeconômico dos pescadores da Reserva Extrativista do Batoque, Aquiraz/ CE. Monografia (graduação). Departamento de Engenharia de Pesca. Universidade Federal do Ceará – UFC. 56f.

COLENAM, J. S. 1981. Snowball sampling: Problems and tecchniques of chan referral sampling. Sociological Method Reserach. V. 10, p. 141-163.

CLIFFORD, J. 2011. A Experiência Etnográfica: Antropologia e Literatura no Século XX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. 248p.

DIEGUES, A.C.; ARRUDA R.S.V.; Silva V.C.F; FIGOLS, F.A.B; ANDRADE, D. 2000. Biodiversidade e comunidades tradicionais no Brasil - Os Saberes tradicionais e a biodiversidade no Brasil. Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal. COBIO – Coordenadoria da Biodiversidade. NUPAUB- Núcleo de pesquisas sobre populações humanas e áreas úmidas. São Paulo, 189 p.

DIEGUES, A.C. 2001. Repensando e recriando as formas de apropriação comum dos espaços e recursos naturais. In: DIEGUES, A, C; MOREIRA, A, C, C (Org.). Espaços e Recursos Naturais de Uso Comum. NUPAUB – Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e áreas Úmidas Brasileiras. USP- São Paulo. p. 97-124.

DIEGUES, A.C. 2002. O mito moderno da natureza intocada. 4° Ed. Ed. Hucitec. NUPAUB – Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e áreas Úmidas Brasileiras. USP- São Paulo, 161 p.

DIEGUES, A. C; VIANA, V, M (Org.). 2004. Comunidades tradicionais e manejo dos recursos naturais da Mata Atlântica. 2° Ed. Editora Hucitec. NUPAUB/CEC. São Paulo, 273p.

GEERTZ, Clifford. 1988. Works and lives: The anthropologist as author. Winner of the National Book Circle Award for Criticism. p.153.

GEERTZ, Clifford. 2002. O saber local – Novos Ensaios em Antropologia Interpretativa. Tradução de Vera Mello Joscelyne. 5° ed. Petrópolis: Editora Vozes. 366p.

GEERTZ, Clifford. 2008. A interpretação das culturas. 1° Ed. 13. reimp. – Rio de Janeiro: LTC, 323p.

GOODMAN, L. 1961. Snowball Sampling. In: Annals of Mathematical Statistics, 32:148-170.

HARRIS, M. 1976. History and Significance of the Emic/Etic Distinction. Source: Annual Review of Anthropology, Vol. 5, p. 329-350.

HAESBAERT, R. 2004. Dos múltiplos territórios á multiterritorialidade. Texto de discussão. Porto Alegre. 20p.

HAESBAERT, R. 2007. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 3° ed. revista. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 400p.

LEFF. Enrique. 2001. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução: Lúcia Mathilde Endlich Orth. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes, 243p.

LEEF, E. 2007. Epistemologia ambiental. Tradução: Sandra Valenzuela, 4 ed. revista, São Paulo: Cortez. 239 p.

LIMA, Maria do Céu. 2002. Comunidades pesqueiras marítimas do Ceará: território, costumes e conflitos. Teses de doutorado em geografia humana. São Paulo: FFLCH/USP.

LIMA, Maria do Céu. 2005. Comunidades pesqueiras marítimas: mariscando resistências. In: SILVA, J. B; CAVALCANTE, T. C; DANTAS, E. W. C (Org.). Ceará: um novo olhar geográfico. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, pp. 281-299.

LIMA, Maria do Céu. 2006. Pescadores e pescadoras artesanais do Ceará: modo de vida, confrontos e horizontes. Mercator – Revista de geografia da UFC, ano 05, número 10.

LITTLE, P. E. T. 2002.Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Série Antropologia. UNB - Universidade de Brasília.

MAFFESOLI, Michel. 2007. O conhecimento comum: introdução à sociologia compreensiva. Porto Alegre: Editora Sulina. 295p.

MALINOWSKI, B. 1978. Introdução: tema, método e objetivo desta pesquisa. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo. pp.17-34.

MEIRELES, A. J. A. 2006. Danos ambientais na zona costeira cearense. Artigo publicado no livro Racismo Ambiental (2006) pelo Laboratório de Estudos de Cidadania, Territorialidade, Trabalho e Ambiente (Lactta) da UFF em parceria com o Projeto Brasil Sustentável e Democrático (BSD/Fase). 13p.

MEIRELES, A. J. A. 2008. Impactos ambientais decorrentes da ocupação de áreas reguladoras do aporte de areia: a planície Costeira da Caponga, município de Cascavel, litoral leste cearense. Revista franco-brasilera de geografia. Número 2. Disponível em: http://confins.revues.org/2423. Acesso em: 11 de abr. de 2015.

MEIRELES, A. J; ARRUDA, M. G. C; GORAYEB, A. 2005. Integração dos indicadores geoambientais de flutuações do nível relativo do mar e de mudanças climáticas no litoral cearense. Mercator - Revista de Geografia da UFC, ano 04, número 08, pp.109-134.

MENDES, E. G; LIMA, L. C; CORIOLANO, L. N. M. T. 2004. Os embates da reestruturação do espaço litorâneo cearense pelo turismo. Mercator – Revista de Geografia da UFC, ano 03, número 06. pp. 43-52.

PEREIRA, A. Q. 2006. Veraneio marítimo e expansão metropolitana no Ceará: Fortaleza em Aquiraz. Dissertação (mestrado). Departamento de Geografia. Universidade Federal do Ceará – UFC. 157f.

PEREIRA, A. Q; ARAÚJO, E; JÚNIOR, T. S; SILVA, M. N; SILVEIRA, B. 2013. Maritimidade na metrópole: Estudos sobre Fortaleza. Porto Alegre: Editora Liro. 165p.

POSEY, D. A. 1983. Indigenous ecological knowledge and development of the Amazon. In: Moran, E. F. (Ed.) The dilema of Amazonian development. Westview, Boulder. pp. 225-257.

POSEY, D. A. 1999. Introduction: Culture and nature – the inextricable link. In: POSEY, D. A. (Ed.). Cultural and spiritual values of biodiversity. Nairobi: United Nations Environmet Programme.

OLIVEIRA, M. C. de. 1983. Paisagem, Meio Ambiente e Planejamento. Rev. IG, São Paulo, 4(1/2): 67·78, jan./dez.

OLIVEIRA, R. C. 2006. O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever. In: O trabalho do antropólogo. 3 ed. Brasília: Paralelo 15; São Paulo: Editora Unesp. pp. 17-35.

OLIVEIRA, G. G; MEIRELES, A. J. A. 2010. Dinâmica geoambiental a partir da “litoralização” de Aquiraz, Ceará, Brasil. REDE – Revista eletrônica do PRODEMA. Fortaleza, v. 5, n.2, pp. 50-68.

POSEY, D. A.1983. Indigenous ecological knowledge and development of the Amazon. In: Moran, E. F. (ed) The dilema of Amazonian development. Westview, Boulder. pp. 225-257.

REBOUÇAS, M. C. M. R. 2012. Caracterização da pesca artesanal marítima-continental da Reserva Extrativista do Batoque, Aquiraz, Ceará. Monografia (graduação). Departamento de Engenharia de Pesca. Universidade Federal do Ceará – UFC. 60f.

ROCHA, A. L. C; ECKERT, C. Etnografia: saberes e práticas. In: PINTO, C. R. J; GUAZZELLI, C. A. B. Ciências humanas: pesquisa e método. Porto Alegre; Editora da Universidade, 2008.

ROCHA, A. M; LIMA, L. C; CORIOLANO, L. N. M. T. 2004. A luta pelo direito à terra, cultura, turismo e desenvolvimento local: o caso de Batoque-Aquiraz-CE.Artigo.15p.

STEVENS, S (Org.). 1997. Conservation through cultural survival: indigenous peoples and protected áreas. Island Press.

SANTOS, Milton; SOUZA, M. A; SILVEIRA, M. L (Org.). 1998. Território – Globalização e Fragmentação. Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional – ANPUR. 4°. São Paulo: Ed. Hucitec. 331p.

SILVA, E. V. 1987. Modelo de aprovechamiento y preservacion de los manglares de marisco y Barro Preto - Aquiraz - Ceará / Brasil. Mestrado em Planejamento Rural em Função do Meio Ambiente. Instituto Agronômico Mediterrâneo de Zaragoza. 392f.

SILVA, D. R F. Reserva Extrativista do Batoque: análise do ensino de geografia contextualizado. Monografia. Departamento de geografia. Universidade Federal do Ceará – UFC. 2011.

SOUZA, E. A. L. de. 2013. A metropolização de fortaleza: a tríade produtiva- imobiliária-litorânea. XIII Simpósio Nacional de geografia urbana. UERJ. Rio de Janeiro. 20p.

STEVENS, S (Org.). 1997. Conservation through cultural survival: indigenous peoples and protected áreas. Island Press.

VIDAL, M. R. 2006. Proposta de Gestão Ambiental para a Reserva Extrativista do Batoque- Aquiraz/CE. Dissertação (mestrado). Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza. 157f.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-09-30

Como Citar

DEPREZ, M. da C. M. R.; SILVA, E. V. da; DEPREZ, M. L. R. A Reserva Extrativista do Batoque: o passado e o presente na construção socioambiental do território. Gaia Scientia, [S. l.], v. 10, n. 4, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/23822. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais