Pesca artesanal e cadeia produtiva de Octopus insularis: o caso dos ambientes recifais do sul da Bahia, Brasil

Autores

  • Alexandre Schiavetti UESC, Departamento Ciências Agrárias e Ambientais
  • Cleverson Zapelini PPG Ecologia e Conservação da Biodiversidade - UESC
  • Manuella Dultra Jesus Secretaria de Educação de Porto Seguro
  • Maria Teresa J. Gouveia Instituto Coral Vivo

Palavras-chave:

análise FOFA, manejo, polvo, Porto Seguro, uso sustentável, Unidade de Conservação

Resumo

O estudo caracteriza a pesca artesanal e a cadeia produtiva do polvo Octopus insularis no sul da Bahia. As atividades de campo foram realizadas entre fev-nov/2013. O perfil socioeconômico dos pescadores de polvo foi analisado através de dados secundários da Rede de Pesquisas Coral Vivo. A cadeia produtiva foi analisada através do acompanhamento da venda do polvo e com visitas a 25 estabelecimentos que comercializavam o pescado. Foram capturados 23 espécimes nos recifes costeiros (peso médio = 451 g) e 14 espécimes no Parque Natural Municipal do Recife de Fora (peso médio = 1.042 g). Para 40 % dos pescadores de polvo, a pesca não é a sua principal fonte de renda, atuando também como guias turísticos ou no comércio. Os valores do polvo in natura (R$ / kg) variaram entre R$ 15,00 - 28,00 para compra e entre R$ 17,00 - 34,00 para a venda, sendo a demanda semanal, por estabelecimento, de 6 a 580 kg. A cadeia produtiva de Octopus insularis não é eficiente, pois a oferta não supre a demanda do mercado interno, havendo uma comercialização desse recurso provindo de outras regiões do país. A análise de Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças sugere que a proximidade à costa e as principais ameaças (pesca com alavanca e uso irrestrito do recurso), tornam essa atividade ameaçada em nível local. Por isso, devido a espécie demonstrar ciclo de vida semélparo, seria conveniente estabelecer regras de uso com a finalidade de evitar a exaustão desse recurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Schiavetti, UESC, Departamento Ciências Agrárias e Ambientais

Ecólogo, MSc Engenharia Ambiental, Dr Ecologia e Recursos Naturais, Professor Pleno DCAA/UESC

Cleverson Zapelini, PPG Ecologia e Conservação da Biodiversidade - UESC

Biólogo - UFPR, Mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade, Doutorando em Ecologia e Conservação da Biodiversidade (UESC)

Manuella Dultra Jesus, Secretaria de Educação de Porto Seguro

Bióloga, UEFS; Mestre em Sistemas Aquáticos Tropicais

Maria Teresa J. Gouveia, Instituto Coral Vivo

Bióloga, Educadora Ambiental, Jardim Botânico do Rio Janeiro

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

SCHIAVETTI, A.; ZAPELINI, C.; JESUS, M. D.; GOUVEIA, M. T. J. Pesca artesanal e cadeia produtiva de Octopus insularis: o caso dos ambientes recifais do sul da Bahia, Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/25120. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)