Evolução temporal da entropia de variáveis climáticas em Estância – SE

Autores

  • André Luis Santana Santos
  • Lázaro de Souto Araújo
  • José Rodrigo Santos Silva
  • Péricles de Farias Borges

Palavras-chave:

Clima, temperatura do ar, velocidade do vento, umidade relativa e Sample Entopy

Resumo

O estudo da dinâmica dos fenômenos naturais fez com que grupos sociais superassem a condição de meros sujeitos às intempéries naturais e atingissem não somente a compreensão de funcionamento de alguns fenômenos, mas também a condição de utilitários e de manipuladores dos mesmos. Desta forma, a fim de compreender a evolução da complexidade climática ao longo do tempo no município de Estância – SE, aplicamos o método Sample Entropy para analisar a entropia em séries temporais da temperatura do ar, umidade relativa do ar e velocidade do vento. As séries temporais são médias diárias destas variáveis climáticas, observados entre os anos de 2008 e 2014, registradas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Os valores de entropia estimados são considerados medianos, onde, ao longo de todo o período estudado, a estatística estimada para a variável temperatura média diária do ar é predominantemente menor que as estimativas das demais variáveis. A entropia para a velocidade média diária do vento foi igual ou superior que a observada para a umidade relativa média diária do ar. Ao longo dos 7 anos observados, a entropia da variável temperatura média diária do ar apresentou uma leve tendência de decrescimento, com uma taxa média anual de 0,9% ao ano da entropia. A entropia para as demais variáveis foi caracterizada como estacionária, dentro do período estudado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

SANTOS, A. L. S.; ARAÚJO, L. de S.; SILVA, J. R. S.; BORGES, P. de F. Evolução temporal da entropia de variáveis climáticas em Estância – SE. Gaia Scientia, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/27628. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)