POESIA, REVISÃO HISTORIOGRÁFICA E AUTORIA

  • Elaine Cristina Cintra UFPB
  • Éverton Barbosa Correia UERJ

Resumo

A descrição de uma série de autores ou de um conjunto de obras em perspectiva insinua, quando não simula, certa ideia de tradição como se houvesse um fio condutor racional, que permitisse acesso às obras como um equivalente da linearidade histórica. Sem ignorar as premências do devir da história, que requerem sempre acuidade a seu observador, aqui se esboça uma tentativa de atualizar algo que se queria como literatura brasileira, desde quando essa produção estivesse radicada na América portuguesa até os dias atuais, que, sem amparo epistemológico seguro que nos emparelhe ao próprio tempo de agora, confina-nos à imprecisão e à vagueza da contemporaneidade. Por conseguinte, os vazios são imensos e as escolhas autorais necessariamente arbitrárias, porquanto são parciais, uma vez que não se intenta nem se acredita mais na totalidade de um discurso, de um método ou de um gênero. E o gênero acionado foi justamente o lírico, haja vista que tradicionalmente tem se atribuído à poesia a tarefa de constituir a ambiência propícia para a especulação subjetiva. Sendo, pois, o ancoradouro mais seguro da persona literária, a poesia inflecte objetivamente sobre a descrição historiográfica justo por permitir a exibição e a interferência de vozes autorais tão explícitas quanto possível.
Publicado
2020-01-11
Como Citar
CINTRA , E. C.; CORREIA, ÉVERTON B. POESIA, REVISÃO HISTORIOGRÁFICA E AUTORIA. Revista Graphos, v. 21, n. 2, p. 01-05, 11 jan. 2020.