Os cárceres da Guanabara através do jornal Ultima Hora (1960-1961)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2020v25n43.52574

Palavras-chave:

Ultima Hora, Guanabara, Violência Policial, Sistema prisional, Jornalismo

Resumo

O presente artigo busca analisar quatro séries de reportagens sobre alguns presídios do estado da Guanabara publicadas pelo jornal carioca Ultima Hora entre 1960 e 1961. Os anos escolhidos compreendem a criação de um novo estado, a eleição de Carlos Lacerda como governador, a reorganização dos serviços de segurança pública, a renúncia de um presidente da República e tentativas de barrar sua sucessão legal, resultando em diversos ruídos possíveis do campo político sobre o campo jornalístico. Não obstante, deve-se pontuar que Carlos Lacerda já apresentava um longo histórico de conflitos com o jornal Ultima Hora, levando a uma ferrenha oposição do jornal ao longo de sua gestão. Cientes desse cenário e dos diversos ruídos possíveis, nossa análise prioriza as formas e alterações de enquadramento jornalístico sobre os presídios, detentos, agentes prisionais e policiais, bem como o Poder Público de forma ampla. A análise revela, ao mesmo tempo, mudanças nas representações coletivas sobre esses assuntos e permanências históricas de arbitrariedades policiais, usualmente associadas ao contexto autoritário posterior a 1964, bem como as denúncias que eclodiriam em 1963 quanto ao extermínio de moradores de rua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Dias Antonio, Universidade Federal do Paraná

Mariana Dias Antonio possui licenciatura em História pelo Centro Universitário de Araras “Dr. Edmundo Ulson” (2011) e mestrado em História pela Universidade Federal do Paraná (2017). Atualmente é doutoranda em História pela Universidade Federal do Paraná e membro dos grupos de pesquisa “Cultura e Poder” e “Núcleo de Estudos Mediterrânicos - NEMED”.

Referências

ANTONIO, Mariana Dias. O sensacionalismo no jornal Ultima Hora-RJ: Sinais e ícones do Esquadrão da Morte (1968-1969). 2017. 268p. Dissertação (Mestrado em História), Setor de Ciências Humanas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

ARGOLO, José Amaral. As luminárias do medo: vida, paixão e morte do jornalismo policial no eixo Rio de Janeiro-São Paulo. Rio de Janeiro: E-papers, 2008.

BARBOSA, Marialva. História Cultural da Imprensa: Brasil, 1900-2000. 2. ed. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

BENEVIDES, Maria Victoria de Mesquita. O governo Jânio Quadros. 6. ed. 1. reimpr. São Paulo: Brasiliense, 1999.

BOURDIEU, Pierre. Sobre o Estado: Cursos no Collège de France (1989-1992). Trad. Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

CAMPOI, Isabela Candeloro. Adalgisa Nery e as questões políticas de seu tempo (1905-1980). 2008. 269p. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Niterói, 2008.

CHAGAS, Carlos. A ditadura militar e os golpes dentro do golpe. Rio de Janeiro: Record, 2014.

DULLES, John W. F. Carlos Lacerda. A vida de um lutador. Trad. Daphne F. Rodger. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000. v. 2.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 13. ed. 2. reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2010.

GÓMEZ, José María. (coord.). Políticas Públicas de Memória para o Estado do Rio de Janeiro: pesquisas e ferramentas para a não-repetição. Relatório de Pesquisa para a Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, ago. 2015. Disponível em: http://doi.org/10.13140/RG.2.2.36713.44648. Acesso em: 25 abr. 2020.

LABAKI, Amir. 1961: a crise da renúncia e a solução parlamentarista. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LAURENZA, Ana Maria de Abreu. Lacerda x Wainer: O Corvo e o Bessarabiano. 2. ed. São Paulo: Editora Senac, 1998.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. vários tradutores. 5. ed. 2. reimpr. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

LEITÃO, Alexandre Enrique. O Esquadrão da Morte na Imprensa Carioca: a construção narrativa da experiência social e a legitimação da violência policial. 2017. 174p. Dissertação (Mestrado em Comunicação), Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

MCCOMBS, Maxwell. A Teoria da Agenda: a mídia e a opinião pública. Trad. Jacques A. Wainberg. Petrópolis: Vozes, 2009.

MEDEIROS, Benicio. A rotativa parou! Os últimos dias da Ultima Hora de Samuel Wainer. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

MELLO E SOUZA, Cláudio; COELHO, Eduardo (orgs.). Carlos Lacerda / cartas 1933-1976. Rio de Janeiro: Bem-Te-Vi, 2014.

MELLO NETO, David Maciel. “Esquadrão da Morte”: genealogia de uma categoria da violência urbana no Rio de Janeiro (1957 – 1987). 2014. 175p. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia), Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

MENDONÇA, Marina Gusmão de. O demolidor de presidentes. 2. ed. Códex: São Paulo, 2002.

MISSE, Michel. Malandros, marginais e vagabundos e a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. 1999. 413p. Tese (Doutorado em Ciências Humanas: Sociologia), Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

OLIVEIRA, Frederico Cícero Pereira de. Uma História do “Esquadrão da Morte”: Mitos, Símbolos, Indícios e Violência no Rio de Janeiro (1957-1969). 2016. 173p. Dissertação (Mestrado em História), Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2016

RIBEIRO, Octavio. Barra Pesada. São Paulo: Círculo do Livro, [s.d.].

ROSE, R. S. Uma das coisas esquecidas: Getúlio Vargas e controle social no Brasil – 1930-1954. Trad. Anna Olga de Barros Barreto. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SANTOS, Myrian Sepúlveda. Quatro histórias, duas colônias, uma ilha. Rio de Janeiro: Garamond, 2018.

SANDER, Roberto. O crime que abalou a República: violência, conspiração e impunidade no crepúsculo da Era Vargas. Rio de Janeiro: Maquinária, 2010.

SAPOLSKY, Robert M.. Behave: the biology of humans at our best and worst. Nova Iorque: Penguin Press, 2017.

TELES, Janaína de Almeida. Ditadura e repressão no Brasil e na Argentina: paralelos e distinções (Apresentação). In: CALVEIRO, Pilar. Poder e desaparecimento: os campos de concentração na Argentina. Trad. Fernando Correa Prado. São Paulo: Boitempo, 2013. p. 7-18.

VARIKAS, Eleni. A escória do mundo: figuras do pária. Trad. Nair Fonseca & João Alexandre Peschanski. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

WAINER, Samuel. Minha razão de viver: memórias de um repórter. 11. ed. Rio de Janeiro: Record, 1988.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. O inimigo no direito penal. Trad. Sérgio Lamarão. 3. ed. 3. reimpr. Rio de Janeiro: Revan, 2015.

Downloads

Publicado

2020-11-18

Como Citar

ANTONIO, M. D. Os cárceres da Guanabara através do jornal Ultima Hora (1960-1961). Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 25, n. 43, p. 343–360, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2020v25n43.52574. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/srh/article/view/52574. Acesso em: 4 ago. 2021.