Colonização Negra Americana na Amazônia Brasileira

corpos de cor em movimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2020v25n43.54572

Palavras-chave:

Colonização negra, Amazonas, Amalgamação, Diáspora africana

Resumo

Na década de 1860, quando os debates pós-emancipação alcançavam significado transnacional, o Brasil e os Estados Unidos eram os únicos países nas Américas onde a escravidão ainda era legal. Enquanto o Brasil era reconhecido como um lugar onde “a cor não é obstáculo para o avanço” (CHRISTIE, 1865, 78), os Estados Unidos testemunhavam o surgimento da crença de que “as raças não podem viver juntas em estado de liberdade” (WEBB, 1853). Diante desse contexto, o encontro fortuito de um artigo do New York Times de 1862 despertou minha curiosidade, pois relatava um projeto de transplante de afro-descendentes dos Estados Unidos para a Amazônia brasileira. Tal projeto permaneceu praticamente ignorado pela historiografia brasileira, a não ser pelo livro publicado por Nícia Vilela Luz em 1968, denunciando as intenções americanas de colonizar a Amazônia. Embora o chamado projeto de “colonização negra” nunca tenha rendido uma proposta oficial ao governo brasileiro, ele ainda merece ser examinado. Defendo que, no atual contexto de trocas e migrações globais, esse evento histórico ganha nova relevância. A intenção de transferir uma categoria inteira da população de um território nacional para outro levanta questões sobre cidadania e soberania nacional. Ao mesmo tempo, abre a oportunidade para uma abordagem transnacional que pode iluminar aspectos das migrações que de outra forma seriam ignorados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Esteves Agostinho, University of Rochester

Marcia Esteves Agostinho é doutoranda em História na Universidade de Rochester, NY, onde também obteve o título de Mestre em História. Além da carreira em pesquisa histórica, com interesse em História das Emoções, ela é doutora em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, tendo atuado por duas décadas como professora, pesquisadora interdisciplinar e escritora.

Referências

ALLEN, Austin. Origins of the Dred Scott Case: Jacksonian Jurisprudence and the Supreme Court, 1837-1857. Athens, Ga: University of Georgia Press, 2006.

ALLEN, Peter. The Cambridge Apostles: The Early Years. Cambridge: Cambridge University Press, 1978.

AZEVEDO, Célia Maria Marinho de. A recusa da “raça”: anti-racismo e cidadania no Brasil dos anos 1830. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 11, n. 24, p. 297-320, dez. 2005.

BENNETT, Lerone. Forced into Glory: Abraham Lincoln’s White Dream. Chicago: Johnson Publishing Company, 2000.

BETHELL, Leslie. Brazil: Essays on History and Politics. London: School of Advanced Study, University of London, 2018.

BURIN, Eric. Slavery and the Peculiar Solution: A History of the American Colonization Society. Gainesville: UPF, 2003.

CHALHOUB, Sidney. The Precariousness of Freedom in a Slave Society (Brazil in the Nineteenth Century). International Review of Social History, v. 56, n. 3, p. 405-439, 2011.

CROUTHAMEL, James L.. James Watson Webb: Mercantile Editor. New York History 41, n. 4, p. 400-422, 1960.

DANTAS, Mariana L. R. and LIBBY, Douglas C.. “Families, Manumission, and Freed People in Urban Minas Gerais in the Era of Atlantic Abolitionism.” International Review of Social History 65, n. S28, p. 117-144, 2020.

DAWSEY, Cyrus B. and DAWSEY, James M., eds. The Confederados: Old South Immigrants in Brazil. Alabama: University of Alabama Press, 1998.

DOUMA, Michael J. The Lincoln Administration’s Negotiations to Colonize African Americans in Dutch Suriname. Civil War History, v. 61, n. 2, p. 111-137, 2015.

EVERILL, Bronwen. ‘Destiny Seems to Point Me to that Country’: Early Nineteenth-Century African American Migration, Emigration, and Expansion. Journal of Global History, v 7, n. 1, p. 53-77, 2012.

FIKES Jr., Robert. U.S. Blacks’ Perceptions, Experiences, and Scholarship regarding Central and South America – 1822-1959. The Negro Educational Review, v. 57, n. 3-4, p. 171-187, 2006.

GOMES, Tiago de Melo. Problemas no paraíso: a democracia racial brasileira frente à imigração afro-americana (1921). Estudos Afro-Asiáticos, v. 25, n. 2, p. 307-331, 2003.

GREGORY, James N.. Southern Diaspora: How the Great Migrations of Black and White Southerners Transformed America. Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 2005.

HILL, Lawrence F.. Diplomatic Relations between the United States and Brazil. Durham, N.C: Duke University Press, 1932.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Livro dos prefácios. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

HORNE, Gerald. The Deepest South: The United States, Brazil, and the African Slave Trade. New York: New York University Press, 2007.

HUNT, Gaillard. William Thornton and Negro Colonization. Massachusetts: The Society, 1921.

JARNAGIN, Laura. A Confluence of Transatlantic Networks: Elites, Capitalism, and Confederate Migration to Brazil. Alabama: University of Alabama Press, 2008.

JONES, Martha S. Birthright Citizens: A History of Race and Rights in Antebellum America Cambridge University Press, 2018.

KODAMA, Kaori. Os debates pelo fim do tráfico no periódico O Philantropo (1849-1852) e a formação do povo: doenças, raça e escravidão. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 28, n. 56, p. 407-430, 2008.

LUZ, Nícia Vilela. A Amazônia para os negros americanos. Rio de Janeiro: Saga.1968.

LUZ, Nícia Vilela. A Monarquia Brasileira e as Repúblicas Americanas. Journal of Inter-American Studies, v. 8, n. 3, p. 358-370, ul. 1966.

MATOS, Odilon Nogueira de. Resenha de: A Amazônia Para Os Negros Americanos: As Origens De Uma Controvérsia Internacional. Revista de História 38, n. 78, p. 502-504, 1969.

PALM, Paulo Roberto. A abertura do rio Amazonas à navegação internacional e o parlamento brasileiro. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2009.

RE, Henrique Antonio. Uma missão abolicionista britânica no Brasil e as relações entre a British and Foreign Anti-Slavery Society e a Sociedade contra o Tráfico de Africanos e Promotora da Colonização e Civilização dos Indígenas. Almanack, Guarulhos, n. 15, p. 293-317, Apr. 2017

REIS, João José. “The Malê Revolt” The Brazil Reader: History, Culture, Politics, edited by James N. Green, et al., Duke University Press, 2019.

SILVA, Angela Fileno. ‘Que eu vou na terra dos negros’: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África. Tese (Dissertação em História). USP, 2010. https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19082011-105508/en.php

SOARES, Álvaro Teixeira. “Limites do Brasil na Amazônia: Densificação Demográfica e Econômica das Fronteiras. Ação Do Exército, Marinha E Aeronáutica”. Revista Brasileira de Cultura, v. 13, n. 2, p. 59-85, jan./mar. 1970.

STERNHELL, Yael A.. Routes of War: The World of Movement in the Confederate South. Cambridge: Harvard University Press, 2012.

STROM, Sharon Hartman and WEAVER, Frederick Stirton. Confederates in the Tropics: Charles Swett’s Travelogue. Jackson: University Press of Mississippi, 2011.

TANNENBAUM, Frank. Slave and Citizen: The Negro in the Americas. New York: Vintage Books, 1946.

TAYLOR, Nikki. Reconsidering the ‘Forced’ Exodus of 1829: Free Black Emigration from Cincinnati, Ohio to Wilberforce, Canada. The Journal of African American History 87, no. 3 (2002): 283-302.

TYLER-MCGRAW, Marie. An African Republic: Black and White Virginians in the Making of Liberia. Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2007.

Publicado

2020-11-18

Como Citar

AGOSTINHO, M. E. Colonização Negra Americana na Amazônia Brasileira: corpos de cor em movimento. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 25, n. 43, p. 164–179, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2020v25n43.54572. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/srh/article/view/54572. Acesso em: 4 ago. 2021.