Imprimindo livros de cavalarias

dimensão externa e formas de intervenção de um gênero editorial ibérico (1501-1623)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n47%20(jul./dez.).62746

Palavras-chave:

Livros de cavalarias ibéricos, Origens da imprensa, Formas de intervenção

Resumo

Neste artigo, trataremos do processo de impressão dos livros de cavalarias ibéricos, tendo como delimitação temporal os anos de 1501 a 1623, privilegiando, como aspectos analíticos, sua dimensão externa e as formas de intervenção responsáveis por sua conformação. Na primeira parte, iniciaremos com uma breve contextualização de natureza técnica da imprensa à época trabalhada, para então descrever as características físicas desse corpus, enfatizando a importância de fazê-lo para compreender de maneira mais completa o sentido que este adquiriu em sua época. Ainda na mesma seção, recorreremos ao conceito de ‘gênero editorial’, com o objetivo de tecer algumas reflexões sobre a relevância da dimensão externa enquanto critério de delimitação do gênero dos livros de cavalarias. Já na segunda seção, versaremos sobre as dinâmicas do universo editorial, abordando uma série de profissionais e agentes envolvidos, tanto internos quanto externos à oficina tipográfica, bem como suas respectivas funções e especificidades, a fim de assinalar as diferentes formas de intervenção do texto e do livro nelas implicadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Rodrigues Schechner, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em História Social no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense (PPGH/UFF), com o projeto de pesquisa “O não hegemônico nos livros de cavalarias portugueses: classes marginais, espaços não-europeus e subversão de gênero”. Bolsista de Demanda Social da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES/DS), agência responsável pelo financiamento deste artigo.

Referências

ALVAR, Carlos; LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. Libros de caballerías castellanos: una antología. Barcelona: Penguin Random House Grupo Editorial, 2016.

ÁLVAREZ-CIFUENTES, Pedro. “Semsaborias de Palmerim & Primaleom & Florisendo”: Receção e censura dos livros de cavalarias entre Espanha e Portugal. Revista de Filología Románica, Madrid, n. 38, p. 197-203, 2021.

ANSELMO, Artur. Livros e mentalidades. Lisboa: Guimarães, 2002.

ANSELMO, Artur. Estudos de história do livro. Lisboa: Guimarães, 1997.

BARROS, João de. Prymera parte da cronica do emperador Clarimundo donde os Reys de Portugal desçendem. Lisboa, 1522. Disponível em: https://encurtador.com.br/etQR7 . Acesso em 16 de julho de 2022.

BRAGA, Marques. Prefácio. In: Crónica do Imperador Clarimundo. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1953.

BUESCU, Ana Isabel. Cultura impressa e cultura manuscrita em Portugal na época moderna: uma sondagem. Penelope: Fazer e Desfazer a História, Lisboa, n. 21, p. 11-32, 1999.

CHARTIER, Roger. Cultura escrita, literatura e história: Conversas de Roger Chartier com Carlos Aguirre Anaya, Jesús Anaya Rosique, Daniel Goldin e Antonio Saborit. Tradução de Ernani Rosa. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

CHARTIER, Roger. Inscrever e apagar: cultura escrita e literatura, séculos XI-XVIII. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

CHARTIER. Roger. Textos, impressão, leituras. In: HUNT, Lynn (org.). A Nova História Cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992, p. 211-238.

FERRO, Carolina Chaves. As livrarias régias de D. Duarte e de D. Manuel I – um estudo comparativo: construções de coleções e práticas de leitura em Portugal entre 1433 e 1521. Tese (Doutorado em História). Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2015.

LIMA, Luiz Costa. Trilogia do Controle. Rio de Janeiro: Topbooks, 2007.

LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. De los libros de caballerías manuscritos al Quijote. Madrid: Sial, 2004.

LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. Imprenta y libros de caballerías. Madrid: Ollero y Ramos, 2001.

LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. Libros de caballerías castellanos: un género recuperado. Letras: Revista de la Facultad de Filosofía y Letras de la Pontificia Universidad Católica Argentina Santa María de los Buenos Aires, Buenos Aires, n. extra 50-51, p. 203-234, 2004-2005.

LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. Los libros de caballerías y la imprenta. In: LUCÍA MEGÍAS, José Manuel (org.). Amadís de Gaula, 1508: quinientos años de libros de caballerías. Madrid: Biblioteca Nacional de España, 2008, p. 95-126.

LUCÍA MEGÍAS, José Manuel. Os livros de cavalaria para além da imprensa: chaves da sua sobrevivência. In: MONGELLI, Lênia Márcia (org.). E fizerom taes maravilhas... histórias de cavaleiros e cavalarias. Cotia: Ateliê Editorial, 2012, p. 265-288.

MARÍN PINA, Maria Carmen. Páginas de sueños: estudios sobre los libros de caballerías castellanos. Zaragoza: Institución Fernando El Católico, 2011.

MORAES, Francisco de. Primeira parte de Palmeyrim de Inglaterra [...] Chronica do Famoso e Muyto Esforçado caualeyro Palmeyrim de Inglaterra, filho del Rey Dom Duardos no qual se contem suas proezas & de Floriano do Deserto su ermão & do príncipe Florendos filho de Primalião. Lisboa, 1592. Disponível em: https://encurtador.com.br/inuxN . Acesso em 15 de julho de 2022.

PALMA-FERREIRA, João. Prefácio. In: VASCONCELOS, Jorge Ferreira de. Memorial das proezas da segunda Távola Redonda. João PALMA-FERREIRA (ed.). Lisboa: Lello Editores (Obras Clássicas da Literatura Portuguesa, 2), 1998.

VASCONCELOS, Jorge Ferreira de. Memorial das Proezas da Segunda Tauola Redonda. Coimbra, 1567. Disponível em: https://encurtador.com.br/vzINR . Acesso em 15 de julho de 2022.

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Memorial das proezas da Segunda Távola Redonda: frontispício. O Universo de Almourol. Base de dados da matéria cavaleiresca portuguesa dos séculos XVI-XVIII (http://www.universodealmourol.com), 2017. Disponível em: https://encurtador.com.br/JUZ56 . Acesso em 19 de julho de 2022

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Os livros de cavalarias portugueses dos séculos XVI-XVIII. Lisboa: Pearlbooks, 2012.

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Palmeirim de Inglaterra I-II (1567): frontispício. O Universo de Almourol. Base de dados da matéria cavaleiresca portuguesa dos séculos XVI-XVIII (http://www.universodealmourol.com), 2017. Disponível em: https://encurtador.com.br/fAF35 . Acesso em 19 de julho de 2022

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Paratextos do Palmeirim de Inglaterra I-II (1592): frontispício. O Universo de Almourol. Base de dados da matéria cavaleiresca portuguesa dos séculos XVI-XVIII (http://www.universodealmourol.com), 2017. Disponível em: https://encurtador.com.br/rJZ02 . Acesso em 19 de julho de 2022.

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Portuguese Printing at the Beginning of XVIIth Century and the Books of Chivalry. In: A Maturing Market. The Iberian Book World in the First Half of the Seventeenth Century. Leiden: Koninklijke Brill, 2017, p. 213-224.

VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio. Introducción. In: MORAES, Francisco de. Palmerín de Inglaterra. VARGAS DÍAZ-TOLEDO, Aurelio (ed.). Madrid: Centro de Estudios Cervantinos, 2006.

Downloads

Publicado

2023-02-25

Como Citar

SCHECHNER, C. R. . Imprimindo livros de cavalarias: dimensão externa e formas de intervenção de um gênero editorial ibérico (1501-1623). Saeculum, [S. l.], v. 27, n. 47 (jul./dez.), p. 08–30, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2022v27n47 (jul./dez.).62746. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/srh/article/view/62746. Acesso em: 17 jul. 2024.